Policiais afastados por morte de motoboy

Rapaz foi assassinado no sábado, na Zona Sul de SP

O secretário da Segurança Pública de São Paulo, Antonio Ferreira Pinto, determinou nesta segunda-feira (10) o afastamento de dois comandantes da PM responsáveis pelo policiamento na região onde o motoboy Alexandre Menezes dos Santos, de 25 anos, foi morto no sábado (8) na Zona Sul de São Paulo.

Foram afastados o tenente-coronel Gerson Lima de Miranda, do 22º Batalhão da PM, e o capitão Alexander Gomes Bento, da 3ª Companhia do 22º BPM.

O secretário afirmou que os dois não tinham controle da tropa. A secretaria determinou abertura de processo administrativo para averiguar o crime de omissão.

Os quatro policiais militares envolvidos na morte do rapaz foram presos pela Corregedoria da PM. Eles são suspeitos de agredir e asfixiar a vítima. A defesa dos policiais diz que o motoboy estava com uma moto sem placa, na contramão, e rompeu bloqueio policial. Toda a ação da PM ocorreu em frente à casa onde Alexandre morava com a mãe, a vendedora Maria Aparecida de Oliveira Menezes, de 43 anos. Ela afirmou ao G1 que os policiais espancaram seu filho durante 30 minutos.

O Comando da Polícia Militar informou que não sabia, até a publicação desta reportagem, da decisão do secretário. Mais cedo, o próprio governador de São Paulo, Alberto Goldman, criticou a ação dos policiais. "Estou absolutamente constrangido e revoltado?, disse.

Goldman declarou que ?não se justifica de forma alguma? a ação da PM praticada contra o motoboy. O governador afirmou também que ?a atitude criminosa mostra o despreparo destes policiais militares? e assumiu ?o compromisso de apurar profundamente o homicídio?.

Fonte: g1, www.g1.com.br