Comerciante conta como matou professor em balneário no MA

Comerciante conta como matou professor em balneário no MA

O comerciante matou o professor universitário com 50 facads e uma pedrada.

O comerciante Fernando Pacheco dos Santos, 35 anos, ex-aluno do professor universitário Ildeci Silva Cavalcante, 29 anos, morto por ele com uma pedrada e mais de 50 golpes de faca, no município maranhense de Morros, na noite do sábado passado (5), não só confessou o assassinato como deu detalhes do crime. Fernando foi preso na quarta-feira (9), em sua casa, em Morros, após o Serviço de Inteligência da Superintendência de Polícia Civil descobrir o número do celular dele, no quarto onde a vítima havia se hospedado.

O acusado disse, durante uma coletiva de imprensa, que na noite do crime havia combinado um encontro com o professor Ildeci, tanto que teriam se encontraram no Posto Lençóis Maranhenses e ido a um matagal na Estrada Carroçal Pequizeiro II, no povoado Cachoeira.

Fernando Pacheco afirmou que, durante a relação sexual, teria se recusado a fazer algo proposto por Idelci, puxando uma faca de serra. O professor teria pedido para ele não fazer isso e puxou a faca da mão de Fernando, momento em que iniciaram uma luta corporal. ?Quando o Ildeci se afastou, joguei uma pedra grande na cabeça dele, e ele caiu. Aí desferi os golpes de faca?, contou friamente.



Outro motivo para o crime, segundo Fernando, foi professor ter ameaçado contar o relacionamento dos dois para sua esposa, grávida de quase 9 meses.

De acordo com o delegado responsável pelo inquérito, Dicival Gonçalves da Silva, da Delegacia de Morros, as facadas atingiram várias partes do corpo (mão, pescoço, tórax, braço).

As investigações apontam que, após o crime, Fernando escondeu a faca debaixo do banco do veículo da vítima, e levou o carro para uma estrada que dá acesso à Cachoeira, onde colocou dentro do mato, e escondeu alguns objetos eletrônicos da vítima. O delegado contou que Fernando havia passado a noite no matagal, e na manhã de domingo, 6, pediu para um parente lhe buscar.

Nesse trajeto, o acusado pegou a moto deixada no posto e foi para casa sujo de sangue, e disse que havia caído da moto. Fernando disse à polícia onde havia deixado os objetos levados da vítima. ?Fernando conta em detalhes os acontecimentos, tanto que ele nos levou aos locais exatos onde deixou os aparelhos eletrônicos que estavam abandonados no mato?, disse o delegado Dicival Gonçalves.

No entanto, a carteira com documentos pessoas e cartões de Ildeci, cordão de ouro e a quantia de R$ 127 foram encontradas na casa do acusado. Fernando ainda falou que na segunda-feira,7, foi ao município de Axixá onde fez várias compras com o cartão de crédito da vítima. Foram gastos R$ 1.100 na compra de uma geladeira, R$ 215 em confecções, R$ 300 alimentos, e R$ 742 em peças para moto. Comprovantes com a assinatura feita pelo acusado foram apreendidos.

Com a confissão do ex-aluno de Ildeci, o delegado Dicival representou a prisão preventiva do réu confesso, e na tarde desta quinta-feira a juíza Tirciane Maciel Gideon Palácio, da comarca de Morros, expediu o mandado de prisão preventiva por latrocínio.

Fernando é evangélico da Igreja Adventista do 7º dia, tem formação universitária, é proprietário de um comercio em morros, e foi aluno de Ildeci no ano passado.

Fonte: Jornal Pequeno