Laudo de rastreador do carro complica Mizael

Laudo de rastreador do carro complica Mizael

Documento mostra horários e trajetos feitos por réu; defesa contesta prova

O laudo sobre o rastreador do carro de Mizael Bispo de Souza, réu no processo no qual é acusado de matar a ex-namorada e ex-sócia Mércia Nakashima, foi concluído pela perícia e será entregue nesta sexta-feira (17) ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em São Paulo. Ainda esta noite deverá acontecer a reconstituição do crime numa represa em Nazaré Paulista, no interior do estado, onde a advogada morreu afogada.

O documento dos peritos mostra horários e trajeto que o Kia Stportage do advogado e policial militar reformado fez no dia 23 de maio, quando a advogada de 28 anos desapareceu de Guarulhos, na Grande São Paulo. Mizael, que tem 40 anos e está em liberdade provisória, sempre negou o crime. Os dados do laudo do rastreador do carro de Mizael chegaram a ser reproduzidos em 11 de junho, numa espécie de reconstituição do trajeto de Mizael feito pela perícia e pela polícia.

A reportagem teve acesso aos 18 horários do laudo e os reproduz abaixo. A partir deles, os peritos concluem que o principal álibi sustando por Mizael, o de que ele esteve com uma prostituta durante todo o momento em que Mércia sumiu, seria improvável. Isso porque entre 18h e pouco antes das 19h, período em que Mizael afirmou em depoimento à Polícia Civil ter pego a garota de programa próximo ao Cecap e seguido com ela de carro para o estacionamento do Hospital Geral de Guarulhos, o veículo dele estava em movimento, segundo o laudo do rastreador.

De acordo com a perícia da Polícia Técnico-Científica, o resultado do exame revela que entre 18h05, horário que Mizael saiu de carro de sua casa, e 18h40, quando estaciona perto do hospital, o veículo parou apenas uma vez. Ficou cinco minutos no posto de combustíveis da Rua Macambau, onde o outro acusado da morte de Mércia, o vigia Evandro Bezerra Silva, trabalhava. Assim como o advogado, o vigilante de 39 anos também está livre por conta de uma liminar e alega inocência.

Ainda, de acordo com o laudo, às 18h23 o advogado deixou o posto e seguiu numa velocidade que oscilava entre 40km/h e 60km/h para o hospital. ?Por meio dessas provas técnicas, é possível concluir que é bastante improvável que Mizael tenha pego a prostituta no trajeto que fez entre 18h e 19h. A única maneira dessa garota de programa ter entrado no carro em movimento seria ter pulado dentro dele?, afirmou Pattoli.

Não é a primeira vez que Mizael é questionado a respeito da sua versão a respeito da prostituta que estaria com ele. Em 11 de agosto, o delegado Antonio de Olim, do DHPP, havia dito que o suspeito mentia. ?Além disso, no rastreamento, o carro não para no lugar que ele diz?, tinha dito Olim, que recentemente foi afastado do caso. Apesar disso, ele deverá participar da reprodução simulada do crime, marcada para esta sexta, juntamente com o promotor Rodrigo Merli Antunes e a perícia.

Desde o início das investigações, a suposta prostituta nunca foi identificada, encontrada ou prestou qualquer depoimento à polícia. Quando falou ao DHPP, Mizael disse que o nome da mulher seria Ariane ou Ariana e ela teria cerca de 25 anos de idade. Ainda em seu depoimento, ele contou que após ter pego a prostitua na região do Cecap, ele teria levado cerca de dois minutos para chegar de carro ao estacionamento do hospital. Disse também que programa com ela durou cerca de três horas e meia e teria pago R$ 20 pelo encontro.

Quando foi questionado a respeito de Mércia, Mizael contou que esteve com a ex-namorada no dia 22 de maio, quando os dois foram a um motel.

Fonte: g1, www.g1.com.br