Condenado por matar 10 crianças, "maníaco da bicicleta" morre na prisão

Condenado por matar 10 crianças, "maníaco da bicicleta" morre na prisão

Laerte Patrocínio Orpinelli fez vítimas em pelo menos quatro cidades de SP. Ele estava preso na Penitenciária de Iaras e tinha diabetes e hipertensão

A Secretaria de Administração Penitenciária do Estado de São Paulo (SAP) divulgou, nesta quarta-feira (16), a morte de Laerte Patrocínio Orpinelli, conhecido como ?maníaco da bicicleta?, condenado a 100 anos de prisão por raptar, abusar sexualmente e assassinar pelo menos dez crianças no interior de São Paulo, no início dos anos 1990. Ele ficou preso durante 13 anos. Relembre o caso no vídeo ao lado.

Segundo nota divulgada pela secretaria, Orpinelli, que tinha 60 anos, foi encontrado morto na manhã de 3 de janeiro por carcereiros da Penitenciária de Iaras (SP), para onde foi transferido em 7 de dezembro de 2012. O condenado teria morrido de causas naturais, mas a Corregedoria Administrativa do Sistema Penitenciário apura o caso.

Ainda de acordo com a SAP, ele deu entrada na unidade de Iaras com diabetes e hipertensão. Em 31 de dezembro, o detento foi encaminhado ao Pronto-Socorro de Avaré (SP) para cuidar de uma ferida na pele. Ele foi liberado no mesmo dia e continuou o tratamento, com curativos, na enfermaria da penitenciária.

Orpinelli foi enterrado ainda na manhã de 3 de janeiro, no Cemitério Municipal de Araras (SP), onde nasceu.

?Maníaco da bicicleta?

Laerte Patrocínio Orpinelli foi preso em 10 de janeiro de 2000, em Leme (SP), suspeito de raptar, abusar sexualmente e matar aproximadamente dez crianças nas cidades de Rio Claro (SP), Franca (SP), Monte Alto (SP) e Pirassununga (SP). Os crimes fizeram com que ele ficasse conhecido como o ?maníaco da bicicleta?.

Segundo testemunhas que ajudaram nas investigações do caso, Orpinelli era um andarilho que engraxava portas em Rio Claro, no início dos anos 1990, e em uma bicicleta vermelha abordava crianças entre 3 e 11 anos oferecendo doces. Após a abordagem, o maníaco sequestrava as crianças, abusava sexualmente delas e as matava, muitas vezes por asfixia.

Duas ossadas foram encontradas em Rio Claro e Orpinelli teria confessado os crimes, pelos quais passou por júri popular na cidade, em 2008. Ele foi condenado a 38 anos de prisão em regime fechado por atentado ao pudor e homicídio. Em 2001, ele já havia sido condenado a 62 anos de prisão, após julgamento em Franca, por envolvimento com a morte de outras crianças.

Fonte: G1