Conselho Tutelar de Picos recebe 20 denúncias de violência contra crianças por semana

Dentre as ocorrências mais comuns estão agressões físicas e psicológicas.

Os casos de violência contra crianças e adolescentes têm aumentado consideravelmente nos últimos meses na cidade de Picos. Esta realidade é constatada pelo Conselho Tutelar do município que durante o trabalho semanal chega a receber 20 denúncias.

Dentre as ocorrências mais comuns estão agressões físicas e psicológicas. Um caso recente envolve quatro crianças e um adolescente que residem no bairro Cidade de Deus. Segundo denúncia prestada ao Disque 100, as crianças e o adolescente são agredidos psicologicamente e desassistidos pela mãe identificada por Maria da Conceição.

Os fatos já persistem por sete anos, diariamente na casa da suspeita que ainda de acordo com a denúncia ingere bebidas alcoólicas, e que não cuida da alimentação das vítimas. As agressões proferidas pela mãe são termos depreciativos e também humilhações. Por conta desta situação, as crianças vivem nas ruas por longos períodos. Esta já é a segunda denúncia relacionada ao caso.Histórias como estas são constantes. O conselheiro, Josimar Lima, o Dunga, destaca que os primeiros procedimentos tomados a partir da chegada de uma denúncia é a visita in loco para confirmar se os dados são verídicos.

“O primeiro lugar que eu costumo ir é na escola, onde converso com os professores e diretores porque são as pessoas que convivem diariamente com as crianças. Se houver agressão, é lógico que o menino vai chegar no colégio com hematomas”, ressaltou Dunga.

Após as visitas são construídos relatórios, e estes encaminhados ao Ministério Público e aos Direitos Humanos, em Brasília.

DADOS

De acordo com dados apresentados pelo próprio órgão, em 2014 o número de ocorrências de violência contra crianças e adolescentes totalizaram 50 ocorrências. Porém as denúncias que chegam até a sede do Conselho são superiores. Dunga ressalta que a grande maioria das denúncias recebidas não se confirma.

ACOMPANHAMENTO FAMILIAR

A presidente do Conselho Tutelar de Picos, Francilda Araújo, explicou ainda que há casos onde os pais das crianças necessitam de acompanhamento psicológico, realizado através do CREAS e CRAS.

Fonte: Riachaonet