Corpo localizado em pedreira é de jovem desaparecida em Góias

Corpo localizado em pedreira é de jovem desaparecida em Góias

Comparação entre as impressões digitais confirmou identidade da vítima. Tatylla Cristina, de 24 anos, desapareceu no domingo após sair de igreja.

O Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia confirmou neste sábado (19) que o corpo localizado em uma pedreira de Aparecida de Goiânia é de Tatylla Cristina Marçal da Silva, de 24 anos. A garota desapareceu no fim de semana, após sair de uma igreja, em Jataí, no sudoeste do estado.

A identificação foi feita pela comparação entre as impressões digitais e documentos da jovem trazidos de Jataí por familiares. Não foi necessário que a família fizesse a identificação visual do corpo.

De acordo com o IML, o laudo que confirma a causa da morte da jovem só será entregue à Polícia Civil. Agnaldo Coelho Alves, um dos delegados responsáveis, afirmou que está fora da cidade e ainda não teve acesso aos documentos.

O corpo foi localizado na sexta-feira (18). Segundo Agnaldo, as características do corpo levantaram a suspeita de que se tratasse da jovem desaparecida. ?As vestimentas batem com as que ela [Tatylla Cristina] estava usando quando sumiu, segundo os familiares nos relataram. No entanto, nem a família pode fazer o reconhecimento oficial devido ao grau avançado de decomposição do corpo?, explicou o delegado.

Desaparecimento

O último contato de Tatylla Cristina com a família aconteceu na noite de domingo (13), quando ela se encontrou com a mãe na igreja. ?Eu liguei para ela às 19h. Ela estava chorando e eu não perguntei o que foi. Aí, eu a chamei para ir à igreja. Ela foi, saiu mais cedo e foi embora. Disse que ia dormir?, relatou a mãe Adenilda Marçal Trindade. Em seguida, a mãe diz que ligou várias para o celular da jovem, mas as ligações sempre caiam na caixa de mensagem.

No dia do desaparecimento, câmeras de monitoramento de Jataí registraram a passagem de um carro que seria o da jovem, um Hyundai ix35 de cor prata, seguindo uma caminhonete, que, segundo a Polícia Civil, pertence ao namorado dela. O namorado já prestou depoimento à polícia e, apesar das imagens obtidas pela investigação, disse que não se encontrou com Tatylla no dia em que ela desapareceu.

Carro apreendido

Na sexta-feira à tarde, a Polícia Civil confirmou que o veículo Hyundai ix35 de cor prata, apreendido no dia anterior durante uma operação do Grupo de Radiopatrulha Aérea (Graer) da Polícia Militar, em Goiânia, pertencia a Tatylla Cristina. ?Está confirmado que é o veículo dela, o chassi é o mesmo. Mas já tinham clonado o veículo, que estava com outras placas?, explicou ao G1 o delegado regional de Jataí, André Fernandes.

Ele adiantou que já estava trabalhando com a possibilidade da jovem ter sido assassinada. ?Estamos tratando o caso como sequestro. Esta é a nossa principal linha de investigação. Com a questão do carro, há a possibilidade de um homicídio?, disse.

Localizado na noite de quinta-feira (17) em uma casa no Setor Solar Bougainville, o veículo de Tatylla Cristina está apreendido no 20º Distrito Policial de Goiânia. Na mesma ação, os policiais prenderam seis pessoas e um adolescente suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas.

O grupo alegou que adquiriu o carro de terceiros e negou participação no sumiço da jovem. A polícia investiga quem são essas pessoas. ?Queremos saber como eles conseguiram ter a posse do veículo e, assim, chegar à pessoa que está diretamente envolvida no desaparecimento de Tatylla?, afirmou o delegado.

Fonte: G1