Cresce número de assaltos no centro comercial de THE

A cada dia o número de pessoas que são roubadas no centro de Teresina só aumenta

Mariana Carvalho pediu um celular de presente para os pais no seu anivers?rio. ?Pedi um celular lindo, de ?ltima gera??o. Sempre quis ter ele?, conta ela. Na data, pedido atendido e felicidade exposta atrav?s de in?meros sorrisos e beijos na fam?lia. Mas a alegria de Mariana n?o durou muito, ou melhor, durou exatos cinco dias. ?Fui ao centro com minha amiga e l? me roubaram. Na hora fiquei sem acreditar, mas ele estava armado e tive que dar?, lembra a adolescente.

O fato que aconteceu com a jovem j? est? longe de ser novidade. A cada dia o n?mero de pessoas que s?o roubadas no centro de Teresina s? aumenta. As v?timas s?o sempre semelhantes: idosos, mulheres e adolescentes. No entanto, a pris?o de sete pessoas na ?ltima semana mudou um pouco esse quadro segundo Carlos Ara?jo, o Carl?o, chefe de investiga??o do 1? Distrito Policial.

?Prendemos na semana passada uma quadrilha que estava aterrorizando o centro, a zona Leste e a zona Sul de Teresina. Com a pris?o dessas pessoas o n?mero de assaltos reduziu muito. Intensificamos o trabalho porque a situa??o estava complicada. Muitas pessoas estavamsendo roubadas no centro e por isso estamos trabalhando agora quase o dia todo. O resultado dessa intensifica??o foram as recentespris?es que realizamos?, revela Carl?o.

Segundo ele, o problema maior no centro da capital eram os lanceiros; pessoas que ficavam esperando os aposentados receberem o dinheiro da aposentadoria. ?Ficava de oito pessoas esperando os idosos irem at? a parada e depois agiam. Muitos casos aconteceram, mas agora estamos trabalhando forte; uma parceira entre a Pol?cia Militar e a Policia Civil?, garante o inspetor.

Outra a??o bastante comum na regi?o central de Teresina era feita por menores. Muitos se aproveitavam do descuido para roubar celulares, cord?es, rel?gios e outros objetos de valor. ?O hor?rio que eles mais agiam era pela manh? quando os pais deixavam os filhos na escola. A crian?a sa?a, ficava conversando com alguns amigos antes de entrar e assim eram surpreendidos por esses meliantes. Muitos ainda agrediam os adolescentes. Prendemos o chefe dessa pequena quadrilha e mandamos alguns para o Centro Educacional Masculino (CEM)?, ressalta.

Com todas essas pris?es, Carl?o chega a afirmar que o n?mero de assaltos e viol?ncia no centro da capital reduziu em at? 50%. ?Isso

foi determinante para acabar com muitos problemas que t?nhamos por aqui. Tenho certeza que o n?mero de assaltados reduziu pela metade?, garante.

Fonte: Marcos Prado, Jornal Meio Norte