"Doeu muito", afirma criança atingida por tiro nas nádegas

"Doeu muito", afirma criança atingida por tiro nas nádegas

No dia do ocorrido foram apreendidos outros menores com armas

A média de homicídios no bairro São Joaquim, zona norte de Teresina, chegou quatro por mês no início de 2014. Só em 10 dias dois grupos estão disputando a liderança do crime em toda a região. Os rivais, segundo a polícia, contam com a participação de menores. Eles estão amedrontando a população com troca de tiros e até mesmo fazendo vítimas.

Na última sexta-feira, 28, dois homens em uma moto dispararam contra uma residência do bairro. Uma das balas acertou um automóvel e a outra atingiu de raspão uma criança de 7 anos, que apesar do ferimento, passa bem.

Segundo a polícia a participação de menores ainda é o grande problema na solução da criminalidade. Há casos de pessoas presas com armas ponto 40 que são soltas em menos de 24 horas. ?As preocupações, de acordo com a polícia, são pequenos grupos que se degladiam por acertos de contas e bocas de fumo?, disse o coronel Baltazar.

A criança baleada falou à Rede Meio Norte e conta como aconteceu o fato. ?Eu corri para uma casa e estava fechada. Eu fui rodear o carro e um dos tiros pegou em mim. Eu gritei: vó eu peguei um tiro! Ela não quis acreditar, mas logo me levou para o hospital. Doeu muito quando eu peguei esse tiro.?

O coronel Márcio, da Polícia Militar, afirmou que no bairro São Joaquim já foram feitas várias apreensões de armas no bairro. ?Nós estamos desenvolvendo estratégias de policiamento. No dia desse tiroteio, nós fizemos apreensões de indivíduos menores portando armas de fogo. Um líder de gangue foi preso com arma de fogo, além da apreensão de outras armas no bairro durante o carnaval, sem contar com a recuperação de vários veículos roubados para a prática de delitos.?

Fonte: Denison Duarte