Criança é espancada e estuprada no Ceará

Polícia continua as investigações para identificar o autor do crime em Fortaleza

A Polícia continua as investigações para identificar o autor do rapto, seguido de espancamento e abuso sexual contra uma criança de apenas quatro anos, na periferia de Fortaleza, na última terça-feira (19). A informação de que o acusado seria autor de crimes semelhantes na região, tendo violentado nos últimos dias outras crianças e adolescentes, não foi confirmada pela delegada Milena Moraes, que responde interinamente pelo 12º DP (Conjunto Ceará), e está no comando das investigações sobre o caso.

De acordo com a delegada, apenas o caso da criança, ocorrido na terça-feira, está sendo investigado. ?Surgiu essa informação de que haveria outros casos, mas oficialmente não temos nada concreto sobre isso, e tampouco, nenhuma vítima compareceu à delegacia?, afirmou Milena Moraes.

A delegada ressaltou ainda que já conversou com membros do Conselho Tutelar e familiares da criança mas, devido às circunstâncias do caso, a investigação está sendo conduzida de forma cautelosa. ?A família ainda está muito abalada com o crime mas, ao mesmo tempo, esperando a resposta da Polícia. Temos pistas do acusado, mas não podemos divulgar muita coisa, sob pena de atrapalhar as investigações?.

Na tarde de ontem, em frente à residência da menina, a cadeira de balanço, onde a pequena L. gostava de ficar sentada na companhia da avó e da mãe, estava vazia. A menina ainda está internada em um hospital após ter sido submetida a uma cirurgia. Além de ter sofrido violência sexual, L. também foi espancada. Seu estado é considerado estável.

Dois dias depois do fato, o clima ainda é tenso nos bairros próximos onde a menina foi raptada e violentada. Familiares da criança e moradores dos bairros Bonsucesso e Granja Portugal não se conformavam com a violência sofrida pela garota, em um matagal.

Durante todo o dia de ontem, patrulhas da 4ª Companhia do 6º BPM (Conjunto Ceará), do Ronda do Quarteirão e da Polícia Civil fizeram diligências com o objetivo de obter a identificação e a localização do autor do crime.

O terreno onde foi encontrada parte das roupas e o chinelo da menina, supostamente o lugar usado pelo acusado para cometer o crime, foi visitado por policiais militares.

Antes do crime apenas um buraco no muro dava acesso ao terreno baldio. Contudo, na noite do fato, revoltados, os moradores do bairro derrubaram boa parte do muro. A estudante de 30 anos (identidade preservada), que ajudou a criança logo após ela ter sido encontrada andando pela rua, ainda se emociona ao falar da cena que presenciou. ?Ela tremia muito. Estava sem roupa e também muito machucada?, relatou. A estudante disse ainda que a menina foi encontrada por uma mulher que mora nas proximidades. ?Ela apareceu andando na rua e foi amparada por uma mulher?. Na área onde a criança foi raptada, os policiais da patrulha do Ronda do Quarteirão - RD 1003 - tentavam obter mais características do acusado. Para isso, conversavam com moradores que teriam visto o homem fugindo.

Outro caso

A Polícia prendeu, ontem, um homem que estava foragido há um ano, acusado de ter praticado um crime de estupro. Marcos de Oliveira Rodrigues, 44, é apontado como autor de violência sexual contra um bebê de apenas 10 meses. Após a prisão, ele foi encaminhado à Delegacia de Capturas (Decap), onde aguarda transferência para a cadeia.

Fonte: Diário do Nordeste, www.diariodonordeste.com.br