Cristian Cravinhos diz que não matou pais de Richthofen por dinheiro e quer deixar cadeia

Cristian Cravinhos diz que não matou pais de Richthofen por dinheiro e quer deixar cadeia

Ele afirmou se sentir culpado por ser mais velho e que não fala mais com irmão

Cristian Cravinhos, condenado por matar Marisia Richthofen, afirmou que não cometeu o crime por dinheiro como afirma a defesa de Suzane. Em entrevista a Rede Record, Cristian falou do crime, do arrependimento e da esperança de passar para o regime semiaberto e apenas dormir na cadeia.

? Claro que a gente não tinha o mesmo nível social que ela. Isso está muito bem claro. Mas também não nos faltava nada. Tanto que eu viajei praticamente o Brasil inteiro, meu irmão como aeromodelista viajou pra um monte de país.

O corpo tatuado e a postura na delegacia marcaram a imagem de Cristian. Ele ficou visto como um homem arrogante e interesseiro. No dia seguinte ao crime, o condenado comprou uma moto usando dinheiro que estava na casa da família Richthofen.

Na época do crime, Cristian tinha 27 anos de idade, bem mais velho que o irmão Daniel, de 21, e que Suzane, 19. Enquanto Daniel batia no pai de Suzane, Manfred, Cristian matou Marisia com golpes de uma barra de metal. O acusado diz que se sentiu culpado por ser mais velho.

? Eu me senti muito mais culpado do que todos porque eu era o mais velho. De certa forma eu teria que ter tido muito mais maturidade do que eles. E eu não tive. Isso pesou pra mim durante muitos anos.

Cristian foi o primeiro a confessar o crime e na reconstituição do crime se emocionou. Até recentemente, os irmãos cravinhos eram inseparáveis. Daniel e Cristian permanecem na mesma penitenciária, mas já não dividem cela e não se falam. O motivo da discórdia dos irmãos é a estratégia de defesa.

O crime

Manfred e Marísia dormiam quando Suzane, o namorado dela, Daniel, e o irmão dele, Cristian Cravinhos, entraram na garagem no carro da jovem. A polícia conta que Suzane foi até o quarto dos pais para conferir se eles estavam dormindo.

Autorizados por ela, Daniel e Cristian entraram em ação. Daniel se aproximou de Manfred. Cristian, de Marísia. Foram inúmeros os golpes na cabeça com barras de ferro. Os irmãos ainda usaram toalhas molhadas e sacos plásticos para sufocar o casal.

Durante o assassinato, Suzane esperou no andar de baixo da casa. A jovem revirou o escritório para simular um assalto. Antes de ir embora, o trio embolsou 5.000 dólares e R$ 8.000 guardados por Manfred.

Depois da morte dos pais, Suzane foi com Daniel para um motel. Às três da madrugada, a jovem deixou Daniel em casa e foi em busca do irmão Andreas numa LAN house. Ela e o irmão caçula voltaram à mansão. Ao se depararem com os pais mortos, Suzane acionou a polícia.

Na madrugada do dia 22 de julho de 2006, o Tribunal do Júri condenou Suzane e os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos à prisão pelo assassinato do casal. Suzane, Daniel e Cristian foram condenados por duplo homicídio triplamente qualificado.

Eles estão presos na penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo. Os então namorados Suzane e Daniel tiveram uma pena de 39 anos e meio de prisão. Cristian foi condenado a 38 anos e meio.

Fonte: R7, www.r7.com