Decretada prisão preventiva de policiais que liberaram atropelador do filho de Cissa

Decretada prisão preventiva de policiais que liberaram atropelador do filho de Cissa

A informação foi confirmada pelo relações públicas da PM, capitão Ivan Blaz.

A Justiça Militar do Rio decretou, na noite desta terça-feira (27), a prisão preventiva dos dois PMs que liberaram o carro do jovem que atropelou o músico e skatista Rafael Mascarenhas. A informação foi confirmada pelo relações públicas da PM, capitão Ivan Blaz.

Entenda o caso

O cabo Marcelo Bigon e o sargento Marcelo Leal, que estão no 23º BPM (Leblon), serão transferidos para a Unidade Prisional da Polícia Militar, em Benfica, na Zona Norte da cidade, onde vão permanecer por 30 dias.

Os policiais são acusados de liberar o jovem que confessou ter atropelado Rafael Mascarenhas na madrugada de terça-feira (20), no Túnel Acústico, na Gávea, Zona Sul do Rio.

Segundo a juíza Ana Paula Monte Figueiredo Pena Barros, da Auditoria da Justiça Militar do Rio, ?a custódia cautelar é imprescindível para o prosseguimento das investigações, uma vez que ainda não foi possível reunir todo o conjunto de provas?. Ainda segundo ela, ?há notícias de que os acusadores sentem-se intimidados e pensam em ir para outro local?, argumentou a juíza.

Para a juíza, a prisão dos PMs ?é importante para a conveniência da instrução criminal e a garantia da ordem pública, além dos fatos imputados aos indiciados serem de extrema gravidade, sendo crimes que revelam uma inversão total dos valores ensinados na formação de um policial militar?.

Propina

Em depoimento, Roberto Bussamra, pai de Rafael Bussamra, contou que o filho foi coagido a pagar propina para os policiais.

Rafael Mascarenhas, de 18 anos, filho caçula da atriz Cissa Guimarães, morreu atropelado enquanto andava de skate com amigos no Túnel Acústico, interditado no momento para manutenção. Segundo a delegada Bárbara Lomba, titular da 15ª DP (Gávea), um dos dois jovens que estavam com Rafael teria contado que dois carros participavam de um "pega".

A delegada Bárbara Lomba, da 15ª DP (Gávea), afirmou que os policias podem ser acusados por corrupção passiva e Rafael e Roberto Bussamra por corrupção ativa. Rafael Bussamra ligou para o pai, Roberto, que pagou R$ 1 mil aos policiais após o acidente. O pedido dos policiais, segundo ele, teria sido de R$ 10 mil.

Jovem que estava com atropelador

O jovem que estava no banco do carona do atropelador de Rafael Mascarenhas chegou às 14h desta terça-feira (27) para prestar novo depoimento na 15ª DP (Gávea). Segundo a polícia, André Liberal terá que esclarecer como foi a abordagem feita pelos dois PMs, que são acusados pelo pai do atropelador de pedir propina.

A missa de sétimo dia da morte do músico começou por volta das 19h45 desta terça-feira (27), na Igreja Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, na Zona Sul do Rio.

Atriz Cissa Guimarães manda mensagem no twitter

A atriz Cissa Guimarães se pronunciou em sua conta no Twitter, rede social de microblog, sobre o acidente que matou o seu filho mais novo. Ela também mudou a foto de sua conta, com uma imagem em que ela aparece ao lado de Rafael.

"Meus amigos muito, muito queridos, só estou conseguindo respirar através do carinho de vocês", escreveu no sábado (24) a atriz. "Sei que meu filho Rafael está nos iluminando e protegendo, a todos", dizia outro post. "Meu coração dilacerado agradece sinceramente a todos vocês e peço que tomem conta de mim. Beijos", foi o último texto publicado.

Aos poucos, a atriz tenta voltar à vida normal. Segundo a assessoria de imprensa da peça "Doidas e santas", protagonizada por Cissa, ela deve subir aos palcos novamente nesta quinta-feira (29).

Polícia reconstitui acidente em túnel

A Polícia Civil do Rio fez na madrugada desta terça-feira (27) a reconstituição do atropelamento que provocou a morte de Rafael Mascarenhas.

O túnel foi interditado à meia-noite de segunda (26). O jovem que confessou ter atropelado o músico, os três rapazes que estavam com ele e dois amigos de Rafael, ambos skatistas, participaram da reconstituição. Dois irmãos do músico também acompanharam a reprodução simulada.

Os policiais militares que interceptaram o motorista envolvido no atropelamento do músico não foram chamados para participar da reconstituição. Eles cumprem prisão administrativa por 72 horas no batalhão do Leblon, na Zona Sul do Rio. Em depoimento, Roberto Bussamra, pai de Rafael Bussamra, contou que o filho foi coagido a pagar propina para os policiais.

Irmão de Rafael diz que espera justiça

Os irmãos de Rafael, Thomaz e João Velho, acompanharam o trabalho pericial com atenção. Ainda muito abalado, João disse que espera justiça no fim das investigações. Os irmãos deixaram o local por volta das 2h50 desta terça-feira acompanhados de amigos. João Velho contou que compareceu ao local também para dar apoio aos amigos do irmão.

"Vim dar apoio aos amigos do Rafael. A gente confia muito no trabalho da polícia. Foi um momento muito difícil a gente vir para cá. Tudo está sendo muito difícil. Desde o momento que eu cheguei até agora. Tudo é muito difícil", disse João Velho.

Fonte: g1, www.g1.com.br