Defensores públicos visitam cadeia pública após o motim de detentos em Fortaleza

Os defensores foram recebidos pelo diretor da cadeia, Humberto Vargas Dorneles

Dois defensores p?blicos, centenas de processos e o desejo de liberdade de 83 homens. Estes s?o os ingredientes de um trabalho que vem sendo desenvolvido pela Defensoria P?blica na cadeia p?blica de Maracana?, na Regi?o Metropolitana de Fortaleza. Mais uma visita dos dois advogados - Josiel Rocha e F?bio Ivo Gomes -aconteceu ontem pela manh?, provocada por um motim ocorrido na noite do ?ltimo dia 5 naquela unidade prisional.

Os defensores foram recebidos pelo diretor da cadeia, Humberto Vargas Dorneles, que organizou a sala de aula e inform?tica do Centro Educacional e de Inclus?o Digital Professor Manoel Batista Ferreira Filho - onde os detentos recebem aulas normais e de computa??o - para que os atendimentos fossem realizados.

De dois em dois, os presos chegavam ? sala e seus processos eram revistos pelos advogados. ?Vimos conversar com os presos, ouvir suas queixas e ver possibilidades de benef?cios a que eles tenham direito. A partir deste di?logo, todos os encaminhamentos poss?veis ser?o feitos?, destacou Ivo Gomes.

?A quantidade de processos ? muito grande, mas a nossa id?ia ? revisar todos eles?, acrescentou Josiel Rocha. Elismar Pontes de Castro, 27 anos, condenado por pr?tica de roubo, foi o primeiro a ser atendido pelo defensor Ivo Gomes. ?Tenho tempo mais do que o suficiente para estar em liberdade, no regime semi-aberto. Eu sou como a maioria dos veteranos aqui, que est?o com a cadeia paga?, disse. Elismar est? naquela cadeia desde 18 de agosto de 2005.

Espera

O advogado Josiel Rocha atendeu Francisco Ja?lson Agostinho de Lima, que est? preso desde 2003, acusado de assassinato.

?N?o fui julgado ainda e est? com tr?s anos que n?o vou a uma audi?ncia no f?rum?, reclamou. Josiel leu dados do processo do detento e explicou sua situa??o.

Fonte: Diário do Nordeste