Defesa de Bruno contrata perito Ricardo Molina

Defesa de Bruno contrata perito Ricardo Molina

O goleiro Bruno foi preso pela morte da ex-amante Eliza

Ércio Quaresma Firpe, advogado que defende o goleiro Bruno e outras sete pessoas suspeitas de envolvimento no desaparecimento e morte da ex-amante do atleta Eliza Silva Samudio, 25 anos, disse nesta segunda-feira que contratou o perito criminal e professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Ricardo Molina para auxiliá-lo na análise do inquérito policial que apurou o crime.

Quaresma tem até sexta-feira para apresentar à juíza do Tribunal do Júri de Contagem (MG), Marixa Fabiane Lopes, o relatório da defesa dos acusados. "Estive em Campinas hoje no escritório do Dr. Ricardo Molina. Depositei nas mãos do mesmo uma cópia integral do processo "Caso Bruno". O ilustrado expert analisará o material e voltaremos a conversar sobre o tema", afirmou Quaresma em sua página de microblog no Twitter.

Molina será o segundo perito particular contratado pelos advogados de defesa dos acusados. Além dele, já atua em uma perícia paralela o perito alagoano George Sanguinetti, que chegou na última quinta-feira a Minas Gerais e que foi contratado pelo advogado Zanone Manoel de Oliveira Júnior, defensor do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, apontado como a pessoa que estrangulou e esquartejou Eliza.

No sábado, Sanguinetti esteve na casa de Bola, em Vespasiano, região metropolitana de Belo Horizonte, onde ele coletou fios de pelos humanos e de animais, além de outros objetos que segundo ele, serão analisados em laboratório. Para o perito, a conclusão da polícia de que Eliza tenha sido morta no local está errada. Sanguinetti afirmou, ao deixar a residência, que a ex-amante de Bruno nunca esteve no local "porque não há qualquer vestígio que indique isso", afirmou.

O médico legista George Sanguinetti foi contratado pelo casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, condenados pela morte de Isabella Nardoni, para investigar o caso e contestar a perícia feita pela Polícia Civil.

Fonte: Terra, www.terra.com.br