Defesa de Bruno reforça pedido de transferência para Montes Claros

Bruno está preso em Contagem, mas tem contrato com Montes Claros FC.


Defesa de Bruno reforça pedido de transferência para Montes Claros

Os advogados que defendem o goleiro Bruno, preso em Contagem, entregaram à Secretaria de Estado de Defesa Social um reforço do pedido de transferência do detento para Montes Claros. Apesar do pedido, o juiz da Vara de Execuções Penais desta cidade já adiantou que não aceitará a mudança. Bruno cumpre pena de 22 anos de prisão pelo sequestro e morte de Eliza Samudio, e pelo sequestro do filho que teve com ela. O crime foi em 2010.

O goleiro assinou em 28 de fevereiro um contrato de cinco anos com o Montes Claros FC, time de mesmo nome da cidade, no Norte de Minas. Atualmente, o grupo está no Módulo II do Campeonato Mineiro. Em março, o juiz da Vara de Execuções Criminais de Montes Claros, Francisco Lacerda de Figueiredo, recusou a ida do goleiro, alegando que o Presídio de Montes Claros não tem condições de recebê-lo.

A intenção dos advogados de defesa era reforçar com a secretaria que o juiz da Vara de Execuções Penais de Contagem Wagner Cavallieri, não se opunha à transferência do goleiro para Montes Claros. Este documento foi anexado a um pedido de permuta por outro detendo preso na cidade do Norte de Minas.

Figueiredo adiantou que recebeu o pedido de troca do detento pelo goleiro Bruno, mas que já respondeu à secretaria que não concorda com a permuta. O objetivo do magistrado é diminuir o número de internos no presídio da cidade, e não trocar um por outro, segundo o próprio juiz.

O caso

Eliza desapareceu em 2010 e seu corpo nunca foi achado. Ela tinha 25 anos e era mãe do filho recém-nascido do goleiro Bruno, de quem foi amante. Na época, o jogador era titular do Flamengo e não reconhecia a paternidade.

Em março de 2013, Bruno foi considerado culpado pelo homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado da jovem. A ex-mulher do atleta, Dayanne Rodrigues, foi julgada na mesma ocasião, mas foi inocentada pelo conselho de sentença. Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, amigo de Bruno, e Fernanda Gomes de Castro, ex-namorada do atleta, já haviam sido condenados em novembro de 2012.

O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, foi condenado a 22 anos de prisão. O último júri do caso foi realizado em agosto e condendenou Elenilson da Silva e Wemerson Marques ? o Coxinha ? por sequestro e cárcere privado do filho da ex-amante do goleiro. Elenilson foi condenado a 3 anos em regime aberto e Wemerson a dois anos e meio também em regime aberto.

Fonte: G1