Caso Eloá: Defesa de Lindemberg Alves pede anulação do júri

Caso Eloá: Defesa de Lindemberg Alves pede anulação do júri

Além da morte de Eloá, Lindemberg, de 25 anos, foi condenado num júri popular à prisão por outros 11 crimes cometidos durante o sequestro.

A advogada de Lindemberg Alves, Ana Lúcia Assad, afirmou nesta quinta-feira (23) que entrou nesta quarta (22) com um recurso no Fórum de Santo André, no ABC, pedindo a anulação do júri que o condenou à prisão pelo assassinato da ex-namorada, Eloá Pimentel, em outubro de 2008. Na mesma solicitação, a defensora pediu ainda a redução da pena de reclusão de 98 anos e 10 meses de reclusão dada para seu cliente.

Além da morte de Eloá, Lindemberg, de 25 anos, foi condenado num júri popular à prisão por outros 11 crimes cometidos durante o sequestro no apartamento da vítima na cidade paulista. A ex foi morta a tiros. Na época, ela tinha 15 anos. Os jurados decidiram pela condenação no dia 16 deste mês. A sentença com a pena foi dada pela juíza Milena Dias.

A advogada Ana Lúcia Assad disse que pediu a anulação do julgamento de Lindemberg e a marcação de um novo júri. ?Eu aleguei que houve cerceamento de defesa?, disse a defensora. "Era o último dia de prazo para que eu entrasse com algum recurso".

A respeito da solicitação para redução da pena do condenado, a advogada afirmou que a juíza não incluiu no julgamento a reclamação da defesa de que Lindemberg deveria ser julgado por um ?crime continuado?. ?Meu cliente foi julgado e condenado por 12 crimes, mas, no meu entender, o crime é continuado?, disse Ana Lúcia Assad.

De acordo com a advogada de Lindemberg, o recurso com os dois pedidos será encaminhado ao Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), onde será julgado por desembargadores. A liminar caberá a um desembargador relator, e o mérito será decidido posteriormente por esse magistrado e outros dois desembargadores.

Fonte: G1