Defesa entra com novo pedido de liberação para pagodeiros; saiba

Defesa entra com novo pedido de liberação para pagodeiros; saiba

Primeiro pedido de habeas corpus foi negado depois de resultado de laudo em vítimas

Os advogados dos integrantes da banda de pagode New Hit entraram com um novo recurso pedindo a liberdade provisória dos suspeitos de terem estuprado duas adolescentes. O primeiro habeas corpus foi negado na última segunda-feira (3), depois que um laudo da perícia comprovou que as menores foram abusadas.

O advogado Cleber Andrade defende oito dos dez suspeitos e disse que entrou com um recurso no Tribunal de Justiça da Bahia na última terça-feira (4). Antônio Leite defende o coreógrafo da banda e pediu a liberdade do cliente na quarta-feira (5). O policial envolvido no caso é defendido pelos advogados de uma associação policial.

Na segunda-feira, o delegado Marcelo Cavalcanti, responsável pela investigação do caso, divulgou o laudo feito pela perícia. O exame comprova que as duas adolescentes foram abusadas.

? O laudo confirma a versão apresentada pelas meninas, mas não posso dar mais detalhes porque elas são menores de idade. O laudo de uma segunda perícia, feita nas roupa delas, deverá sair em até 30 dias e servirá como prova também.

O delegado ainda afirmou que continua ouvindo testemunhas e tenta identificar a participação de cada integrante no caso.

O caso

Os integrantes da banda foram presos no domingo (26) na cidade de Ruy Barbosa (BA), após a acusação das adolescentes. Em depoimento, as supostas vítimas contaram à polícia que tudo começou quando elas pediram para tirar uma foto com o grupo. Neste momento, o produtor teria pedido para elas entrarem no ônibus da banda. Então, ainda de acordo com elas, os músicos teriam obrigado as adolescentes a entrar no banheiro do veículo e as estupraram. No relato, as garotas disseram que os suspeitos entravam no banheiro em dupla para abusar delas, cinco duplas no total.

Uma das garotas contou que só teria sido abusada pelo vocalista da banda. A outra contou que foi abusada pelos dez suspeitos. Marcelo Cavalcanti, delegado responsável pelo caso, disse não acreditar que todos os suspeitos tenham penetrado as vítimas, mas que alguns teriam colaborado segurando as jovens dentro do banheiro.

Um dos dez envolvidos é policial militar e também foi preso suspeito de envolvimento no caso. Ele foi transferido, na segunda-feira (27), para um batalhão da PM.

As famílias das menores deixaram as casas onde viviam na cidade de Itaberaba (BA) na sexta-feira (31)

A irmã de uma das vítimas, que não quis se identificar, afirma que as ligações são sempre feitas por mulheres que dizem vir de Salvador para matar as menores.

? Tivemos que sair às pressas sem contar para ninguém para onde vamos. Durante uma noite, um carro preto de luxo ficou rondando nossa casa, cantando pneu. Estamos morrendo de medo. Mas fazem isso porque sabem que o que elas estão falando é verdade. Elas [mulheres que, supostamente, fazem as ameaças] dizem que vão sair de Salvador para matar as meninas.

Assista ao vídeo:

Fonte: r7