Advogado de defesa do goleiro Bruno deve pedir liberdade para jogador na segunda-feira

Advogado de defesa do goleiro Bruno deve pedir liberdade para jogador na segunda-feira

Ele e outros oito suspeitos foram indiciados pelo sequestro e morte de Eliza Samudio

O advogado de defesa do goleiro Bruno, Ércio Quaresma, deve entrar com um pedido de liberdade para o jogador na próxima segunda-feira (2). Ele e outros seis clientes de Quaresma foram indiciados pela Polícia Civil de Minas Gerais na última quinta-feira (29) e responderão pelo sequestro, assassinato e ocultação do corpo da ex-amante do atleta.

Bruno, Luiz Henrique Ferreira Romão (o Macarrão), Flávio Caetano de Araújo (Flavinho), Wemerson Marques de Souza (Coxinha), Dayanne Rodriques do Carmo Souza, Elenilson Vitor da Silva, Sérgio Rosa Sales (o Camelo) e Fernanda Gomes de Castro foram indiciados por homicídio, sequestro e cárcere privado, ocultação de cadáver, formação de quadrilha e corrupção de menores.

Já o ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, responderá por homicídio qualificado, formação de quadrilha e ocultação de cadáver.

O adolescente de 17 anos, primo de Bruno, que assumiu participação no crime, ainda aguarda uma decisão da Justiça para a representação feita pelo Ministério Público de sequestro, assassinato e ocultação de cadáver.

Em coletiva de impressa na sexta-feira (30), o delegado que preside a investigação do caso, Edson Moreira afirmou que Bruno começou a planejar o assassinato de Eliza em maio deste ano. Moreira afirmou ainda que as investigações apontam que Eliza foi morta no dia 10 de junho, e não entre os dias 8 e 9 do mês passado, como a polícia havia dito anteriormente.

De acordo com Moreira, existem provas suficientes que comprovam o assassinato de Eliza, como o sangue que foi encontrado no carro de Bruno, mas que as buscas pelo corpo da jovem continuarão.

Fonte: R7, www.r7.com