"Dei sorte", afirma empresária que diz ter sido baleada por policiais

"Dei sorte", afirma empresária que diz ter sido baleada por policiais

O tiro atingiu o queixo da jovem que precisou levar 21 pontos. O caso aconteceu na manhã desta terça (29).

A empresária Poliana de Lima, de 24 anos, foi alvo de um disparo de arma de fogo quando levava a filha de 1 anos e 6 meses para tomar vacina na zona Sul de Natal. Segundo ela, o tiro partiu de um carro de polícia que perseguia suspeitos de um assalto. O tiro atingiu o queixo da jovem que precisou levar 21 pontos. O caso aconteceu na manhã desta terça (29).

Ao site, Poliana relatou que estava em uma esquina da avenida Xavantes com a rua Paranapanema, no conjunto Cidade Satélite, aguardando a vez de entrar na rua quando um carro passou em alta velocidade ao seu lado. Em seguida ela ouviu tiros e viu que outro carro passou por ela em alta velocidade. ?Quando eu vi que estava sangrando foi que me dei conta de que tinha sido atingida. O tiro entrou no meu queixo, saiu e acertou o vidro da janela ao lado da minha filha que estava na cadeirinha no banco de trás?, disse.

O major Rodrigues Barreto, comandante do 5º batalhão de Polícia Militar, informou que a viatura da PM que atende a área estava em outra ocorrência. Segundo ele, o oficial que esteve no local após o ocorrido conversou com moradores e comerciantes da região e eles relataram que os disparos partiram de um carro da Polícia Civil. ?Segundo os moradores, o carro da Polícia Civil estava perseguindo um suspeito de assalto e os policiais efetuaram o disparo para que o suspeito parasse. O motorista parou um pouco mais a frente, desceu do carro e os policiais constataram que era um comerciante que havia sido assaltado na região e estava perseguindo os supostos assaltantes?, disse o major.

A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que já tomou conhecimento do caso e um delegado será designado para apurar o ocorrido.



Segundo Poliana, quando percebeu que estava sangrando, ela continuou dirigindo até a casa da sogra que fica próximo ao local do fato.

Chegando lá, a família acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e Poliana foi socorrida. No hospital, ela levou 21 pontos no queixo. ?O médico disse que por dois centímetros o tiro não pegou na veia jugular. Eu poderia estar morta. O próprio médico disse que eu nasci de novo?, contou.

?Eu não culpo os policiais. Eu culpo o Estado que não investe em segurança, em qualificação desses policiais. Temos policiais despreparados, atirando pra todo lado. Nosso estado está entregue às baratas e ninguém faz nada?, disse a empresária.

Fonte: G1