Delegacia da mulher vai funcionar 24 horas em Teresina

Fábio Abreu irá levar a proposta para o delegado geral da Polícia

Uma parceria entre o Núcleo de Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (Nupevid) e a Secretaria Estadual de Segurança deverá atender uma antiga reivindicação das mulheres piauienses.

A proposta é abrir uma delegacia da mulher 24 horas. Hoje o atendimento à mulher vítima de violência é feito nas delegacias especializadas localizadas no Centro, no bairro Dirceu Arcoverde e no bairro Buenos Aires. Aos finais de semana, as delegadas se revezam e cumprem o plantão na Central de Flagrantes.

A promotora Amparo de Sousa Paz explica que a Delegacia 24 horas é essencial para ampliar a rede de atendimento à mulher. “É nossa obrigação garantir que as mulheres tenham onde recorrer em casos de violência doméstica. Por isso contamos com a sensibilidade dos gestores de segurança do nosso Estado para atender a reivindicação que é de todas as mulheres de Teresina”, afirma.

Image title


O secretário Fábio Abreu irá levar a proposta para o delegado geral da Polícia Civil, Riedel Batista. A proposta é buscar um prédio na região do centro da cidade e fazer um revezamento entre as delegadas para atuarem na Delegacia da Mulher 24 horas durante toda a semana. “Precisamos garantir o atendimento diário para as mulheres que são vítimas de violência. Sabemos que aos finais de semana os crimes contra a mulher aumentam. Hoje, para registrar um boletim de ocorrência no final de semana, por exemplo, a mulher tem de ir até a Central de Flagrantes ou para as delegacias dos bairros”, explica Fábio Abreu.

Para a delegada Ana Melka Albuquerque a medida é necessária e urgente. “O projeto da Casa da Mulher Brasileira prevê uma delegacia 24 horas. Mas não podemos esperar até que este espaço seja aberto. Precisamos garantir que as mulheres tenham atendimento especializado e humanizado. A proposta do Nupevid e da Secretaria de Segurança é viável e atenderá um pedido antigo das mulheres teresinenses e também de todo o Piauí”, encerra.

Além da implantação da delegacia 24 horas, o botão do pânico e a tornozeleira eletrônica são dois instrumentos que darão mais segurança às mulheres em situação de risco ou vítimas de violência doméstica. Para que as mulheres tenham acesso a estes instrumentos, é necessário que o presidente do Tribunal de Justiça do Piauí, desembargador Raimundo Eufrásio, assine a liberação. A Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos (Sejus) irá colaborar disponibilizando as tornozeleiras eletrônicas.

Fonte: Jornal Meio Norte