Delegado diz que deve indiciar 4 pessoas por morte no Hopi Hari

Delegado diz que deve indiciar 4 pessoas por morte no Hopi Hari

"Não vai atrapalhar", diz delegado sobre reabertura do parque no domingo.

O delegado titular de Vinhedo (SP), Álvaro Santucci Noventa Júnior, confirmou ao G1 na tarde desta quinta-feira (22) que deve indiciar pelo menos quatro pessoas pela morte de Gabriela Yukari Nichimura, de 14 anos, que morreu ao cair do brinquedo "La Tour Eiffel", atração do parque de diversões Hopi Hari. Contudo, as investigações não foram concluídas e os nomes e número do total de indiciados dependem do fim do inquérito. Na terça (20), Noventa Júnior confirmou a prorrogação das investigações por 30 dias.

"Estou terminando as oitivas para verificar o rol de pessoas que são culpadas pelo acidente. Acredito que sejam quatro ou cinco, por ora", resume. A morte da adolescente ocorreu em 24 de fevereiro.

O Hopi Hari deverá ser reaberto neste domingo (25), às 11h, segundo o advogado criminalista que defende o parque, Alberto Zacharias Toron. A assessoria de imprensa do parque reiterou a informação, por meio de nota enviada às 16h.


Delegado diz que deve indiciar 4 por morte no Hopi Hari

Noventa Júnior afirma que a reabertura do parque não irá atrapalhar as investigações. Ele disse que deve ouvir pelo menos seis pessoas, que ocupam cargos de gerência e diretoria do local.

Segundo o delegado, até o momento continua descartada a possibilidade de acareação e um possível depoimento de Armando Nichimura, pai da vítima. "As informações são concretas", define.

Depoimentos

Noventa Júnior já ouviu a mãe de Gabriela, a prima que estava sentada ao lado da adolescente no brinquedo, Natasha Domareski, uma tia, os operadores Edson da Silva, Marcos Antônio Tomás Leal e Vitor Igor de Oliveira, o atendente sênior Lucas Martins, além de outros funcionários e testemunhas que estavam presentes no parque no dia do acidente.

saiba mais

Família não é contra reabertura

A família da adolescente Gabriela Nichimura afirma que não é contra a reabertura do parque de diversões, mas pede que a perícia em todos os brinquedos seja concluída a fim de que seja comprovada a segurança das atrações aos visitantes. A nota, emitida pelo advogado Ademar Gomes, foi enviada ao G1 na tarde desta quinta (22).

O local está fechado desde o dia 2 de março após a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). A assessoria de imprensa do parque disse que não foi informada da data oficial da reabertura.

Fonte: G1