Após invasão, delegado teme pela própria vida em Timon

Após invasão, delegado teme pela própria vida em Timon

A afirmação foi feita após invasão de bandidos que, armardos, fizeram os policiais de reféns

O delegado Hermes Bezerra, titular do 2º Distrito de Timon, declarou durante entrevista à Rede Meio Norte nesta segunda-feira, 09, que, em razão das condições de trabalho, não tem nenhuma disposição para manter presos no Distrito Policial. A afirmação foi feita após invasão de bandidos que, armados, fizeram os policiais de reféns na noite deste domingo, 08, e soltaram nove bandidos.

?A gente quer aproveitar esse meio de comunicação para solicitar das autoridades para que a gente possa encontrar um caminho. Eu já não tenho nenhuma disposição para continuar mantendo um preso no Distrito em que eu trabalho, pois estamos colocando em risco a nossa vida e prejudicando o nosso trabalho?, disse o delegado.

Os policiais, sob maus tratos, foram desarmados, apanharam e ficaram presos enquanto os bandidos libertavam todos os comparsas de uma das celas da delegacia.

Informações chegam à equipe de reportagem e revelam que a intenção dos bandidos era soltar o detento conhecido por Léo Grandão, que foi preso na última sexta-feira, 06, e resgatado durante a ocorrência. Na ficha criminal do preso ele responde por assassinato, assaltos a bancos, a agências de Correios e latrocínio.

Segundo Hermes Bezerra, o fato já era previsível. ?Delegacia não é local adequado para custodiar presos. Por conta da custódia de presos irregular e sem servidores formados para tal é que se enseja uma situação como essa.?

Os bandidos, armados de pistola, eram auxiliados por uma mulher. ?Eles renderam a policial que estava de plantão e um profissional administrativo. Após rendidos, os policiais foram obrigados a abrir o xadrez, soltando nove presos de justiça, dentre eles a pessoa que eles tinham o maior interesse em resgatar, Leonardo dos Santos (Léo Grandão).

Fonte: Denison Duarte