Ponte faz crescer a violência no Mocambinho em Teresina

Ponte faz crescer a violência no Mocambinho em Teresina

Apesar de diminuir distâncias, população atribui à Ponte Leonel Brizola, que liga a região à zona Leste, o aumento nos casos de assaltos no Mocambinho

A chegada da Ponte Leonel Brizola, inaugurada no ano de 2012, serviu para aproximar as regiões Norte e Leste de Teresina através dos bairros Mocambinho/Santa Sofia e Nova Teresina. Mas além dos benefícios trazidos, a população também atribui à nova ponte o aumento da violência na zona Norte.

No bairro Mocambinho, o zelador Raimundo Magalhães foi uma vítima de assalto há menos de 15 dias. Segundo ele, os bandidos abordaram sua esposa que estava conduzindo a motocicleta da família e a roubaram nas proximidades da Praça do Santa Sofia. Ele descreveu ainda a truculência com que o assalto foi realizado.

?Minha esposa estava chegando em casa com nossa filha pequena quando foi assaltada por homens armados na Praça do Santa Sofia. Os bandidos foram tão violentos que machucaram minha filha de oito anos durante o assalto?, disse o zelador.

?Essa ponte foi muito boa para encurtar distâncias, mas facilitou a entrada de muita gente ruim aqui na nossa região?, ressaltou Raimundo Magalhães, que sempre procura tempo livre para procurar sozinho a sua motocicleta.

?Só paguei a metade da moto?. O veículo é da marca Yamaha, cor cinza prateado e placa ODW ? 4223 de Teresina.

O pintor Martinho Rodrigues é morador antigo do bairro Santa Sofia e diz que nunca viu tanta violência nos 20 anos em que reside no local. ?Eu tive que fazer alguns ajustes na minha casa como medida de segurança.

Não existe mais área ou jardim, nenhum tipo de espaço que facilite o acesso dos bandidos ao interior da casa?, disse o pintor. Como medida coibitiva dos crimes, ele sugere que polícia implante um posto próximo à Ponte Leonel Brizola.

?Acredito que esta fiscalização é muito necessária, pois no Natal de 2013 fizeram um arrastão muito grande do lado do Nova Teresina e não havia policiamento para impedir o grande número de assaltos que aconteceu naquele dia?, denunciou Martinho Rodrigues.

Populares querem realizar caminhada pela paz

A comerciária Rosa Macedo, 50 anos, disse que a questão da violência ficou insustentável no Mocambinho e que está mobilizando a população para uma caminhada pedindo paz.

"A violência aqui está uma coisa fora do comum, os bandidos são muito agressivos. Na minha rua não existe uma pessoa que já não tenha sido assaltada no Mocambinho e região. Por isso vamos organizar esta caminhada com a ajuda de igrejas mobilizadas, entidades, políticos que abracem esse pedido de paz".

Para Rosa Macedo, a violência na região foi ressaltada pela chegada da Ponte do Mocambinho e a transferência do 9º Batalhão da Polícia Militar para a Avenida Boa Esperança, no Parque Lagoas do Norte.

Em visita à Praça do Santa Sofia, a equipe de reportagem encontrou um casal (que não quis se identificar) esperando pacientemente o neto sair da escola que funciona no setor.

O casal afirmou que chegam com muita antecedência e esperam pacientemente a saída da criança, devido ao medo da criminalidade.

"Nós sabemos que a violência aumentou e por isso temos que estar sempre atentos, vigiando, acompanhando a orientando para evitar os perigos", disse a senhora aposentada.

Policiais do Ronda Cidadão fazem ações

De acordo com o comandante do Ronda Cidadão na Zona Norte de Teresina, o tenente Leodomir, toda a região, que inclui Mocambinho, Santa Sofia e região, contam com viaturas do Ronda Cidadão, do Batalhão da Polícia Militar e da Força Tática da PM.

As equipes têm a incumbência de realizar blitze constantes, rondas normais e reuniões com lideranças locais para definir estratégias. Blitze na Ponte do Mocambinho estão entre as ações mais comuns realizadas pelo efetivo do Ronda Cidadão.

"Em 2013, dentro das nossas ações conseguimos recuperar 20 armas, 23 carros e 15 motos e toda a Zona Norte conta com um efetivo de 80 policiais do Ronda Policial e a região do Mocambinho tem três viaturas que percorrem as ruas durante todo o dia e a noite", disse o tenente Leodomir.

Ele ainda acrescentou as estratégias preventivas e projetos futuros para implementação na área. "Como maneiras de prevenir crimes e abusos de drogas, cada viatura realiza 10 visitas diárias para ouvir a população e saber quais as principais demandas. Nossos policiais também estão preparados para oferecer palestras quando solicitados", disse o comandante.

O comandante Leodomir Costa acrescentou que o Pelotão Mirim do Ronda Cidadão no bairro Santa Maria da Codipi já conta com 200 jovens que realizam trabalho de orientação e prevenção. A expectativa é de ampliar o programa para outros bairros da zona Norte de Teresina.

Fonte: Samira Ramalho