Depois de levar quatro tiros no abdômen, ex-cantor do grupo Cidade Negra recebe alta

Depois de levar quatro tiros no abdômen, ex-cantor do grupo Cidade Negra recebe alta

Um dia após o crime, a polícia prendeu o suspeito do crim

O cantor Ras Bernardo, ex-vocalista do grupo Cidade Negra, recebeu alta nesta sexta-feira (10). As informações são da assessoria do Hospital Geral de Nova Iguaçu. Ele deu entrada na unidade no dia 1º, vítima de quatro tiros e múltiplas perfurações no abdômen.

O hospital ainda informou que durante o período em que esteve internado, o paciente evoluiu bem ao tratamento e seu quadro de saúde permaneceu estável.

Briga por causa de cavalo

As investigações da polícia apontam que o ex-vocalista do Cidade Negra foi baleado em 1º de fevereiro, quando caminhava pela Estrada São Jorge, no bairro Cerâmica, em direção à sua casa, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ao passar por uma matagal, ele ouviu um barulho de disparo e, quando estava bem próximo de casa, caiu no chão ferido.

Um dia após o crime, a polícia prendeu o suspeito do crime. O homem, reconhecido pela vítima por fotografias, é vizinho do cantor e o crime, segundo a polícia, teria sido motivado por uma briga envolvendo os dois.

O suspeito teria atirado porque o cantor teria se recusado a pagar uma indenização de R$ 8 mil pela morte de seu cavalo. O suspeito, segundo a polícia, deve responder por tentativa de homicídio e por porte ilegal de arma, já que com ele foi encontrada uma escopeta.

A polícia informou que a arma e 32 munições estavam enterradas no estábulo no quintal da casa do suspeito.

Segundo o delegado Marcos Henrique de Oliveira, da 58ª DP (Posse), o cavalo do suposto atirador teria morrido eletrocutado na cerca elétrica da casa de Ras Bernardo. O episódio teria acontecido há oito meses.

"Ouvimos uma testemunha, que é amigo da vítima, que nos relatou que ela teria tido um desentendimento num passado recente com o vizinho por conta da morte de um animal. A partir desse fato, o Sérgio [o suspeito preso] passou a cobrar uma indenização de R$ 8 mil da família pela morte do animal. Como não houve acordo, começaram aí os desentendimentos, que culminaram com esse homicídio tentado", explicou o delegado.

Fonte: G1