Dias antes de matar idosa, Justiça pediu prisão de caseiro

Dias antes de matar idosa, Justiça pediu prisão de caseiro

Ênio Tomaz da Rocha estuprou e matou mulher em Botafogo, em 2011. Em decisão, juiz disse que prisão era para evitar outros crimes

Dias antes do caseiro Ênio Tomaz da Rocha, de 47 anos, matar a idosa Alpha Dias Kieling, de 76 anos, o juiz Murilo Andre Kieling Cardona Pereira, do III Tribunal do Júri, havia pedido a prisão preventiva do acusado, pelo assassinato e estupro de Cleiane Oliveira Costa, em Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro. ?A prisão do acusado apresenta-se necessária para a garantia da ordem pública, a fim de evitar que em liberdade volte a praticar crimes, já que demonstra possuir intensa periculosidade?, disse o texto da sentença, emitida no dia 4 de julho.

O corpo de Alpha foi encontrado enterrado nos fundos da casa dela no dia 29 de julho, em São Conrado, também na Zona Sul. O crime praticado contra a outra vítima, Cleiane, ocorreu no dia 25 de maio de 2011.

No texto, o juiz afirma que, contra Cleiane, Ênio praticou os crimes de homicídio duplamente qualificado, ocultação de cadáver, estupro e furto.

O acusado foi preso na quinta-feira (2), por polciais da Divisão de Homicídio, após a Justiça decretar a prisão pela morte de Alpha.

Segundo o Tribunal de Justiça, Cleiane trabalhava na Associação Brasileira de Estudos e Pesquisa da Infância (Sobepi), na Rua Elvira Machado. O texto afirma que, após análise das imagens das câmeras de segurança, foi registrado que Ênio entrou na clínica às 20h49min e saiu por volta das 21h33min, ?carregando algo que se assemelhava a uma bolsa feminina?. De acordo com o juiz, "o crime foi praticado com extremabrutalidade".

Réu confesso

Em um vídeo divulgado pela Polícia Civil, o caseiro confessa ter matado Alpha Dias Kieling. Ele também diz que está arrependido e que tem que pagar pelo crime. Além disso, Ênio pede desculpas ao filho da vítima. "Se pudesse daria minha vida para ter a dela de volta", diz Ênio no vídeo.

O caseiro diz ter matado a idosa por ela ter suspeitado que ele tivesse roubado algum objeto do armário que havia limpado após a vítima oferecer R$ 50. No entanto, segundo o caseiro, a idosa pagou apenas R$ 30 pelo serviço. Após terminar a limpeza, Ênio conta que empurrou Alpha e ela caiu. Em seguida, ainda segundo seu relato, ele enforcou a idosa.

Ainda de acordo com o seu relato, quando percebeu que a idosa não estava mais respirando, Ênio primeiro pensou em pedir ajuda a seguranças que ficavam na rua, mas percebeu que a via estava deserta. Então, segundo ele, cavou um buraco no quintal da vítima e enterrou o corpo. Foi ao chegar em casa, na Rocinha, que ele diz ter se arrependido do crime.

A polícia informou que Ênio vai responder por homicídio doloso.

Filho se sentiu aliviado

O executivo Robert Dannenberg, filho de Alpha, disse que se sentia aliviado com a prisão do caseiro. Segundo Robert, ele não tinha contato com o empregado e que a mãe nunca comentou sobre ele.

"A sensação que eu tenho é de alívio. Retiramos das ruas um assassino cruel e isso é um grande alívio para toda a população. Foi retirado das ruas um criminoso muito perigoso, isso que é importante. Eu nunca tinha visto esse rapaz antes de sexta-feira, quando ele abriu os portões da minha casa para eu entrar", disse.

Fonte: G1