DJ é morto após reclamar de fumante em bar

Cliente de bar ficou irritado após ele mencionar proibição de fumo

O DJ Carlos Alberto de Sousa Simon, que foi assassinado com quatro tiros por volta das 22h de domingo (6), no bar Açaí, no Centro de Diadema, no ABC, completaria 42 anos nesta segunda-feira (7).

De acordo com testemunhas, ele disse a um dos clientes que não era permitido fumar no recinto. Irritado, o homem deixou o bar e voltou logo depois para atingi-lo com uma arma de fogo.

"Ele era muito brincalhão. Não mexia com ninguém e não tinha inimizades", afirmou Carla Alecsandra Verardi, advogada, 35 anos, que era amiga de infância do DJ.

"Ele era muito gente boa. Nem bebia. Eu e minha amiga íamos onde ele tocava", disse Simone Freitas, 21 anos, cabeleireira e frequentadora do bar.

O delegado Leonardo Piccirillo ainda investiga as causas do assassinato. Por isso, não quis dar mais detalhes. "Trabalhamos neste caso durante toda a noite. Estamos investigando se o autor dos disparos ia ao bar com frequência ou se era um cliente esporádico", afirmou.

Assustada, a família não quis comentar as circunstâncias do assassinato, pois teme represálias. O DJ deixa três filhos: um de 15, um de 13 anos e um bebê de sete meses.

O corpo do DJ será enterrado nesta tarde no Cemitério Vale da Paz, em Diadema.

Fonte: g1, www.g1.com.br