Dois traficantes são suspeitos de tiros que mataram garotinha de seis anos

Menina morreu na noite do domingo (6) durante uma festa no bar do avô.

Dois homens envolvidos com tráfico de drogas são os suspeitos dos disparos que mataram Franciele dos Santos, de 6 anos, no domingo (6), em Salvador. O crime ocorreu durante a realização de um aniversário do bar do avô da vítima.


Dois traficantes são suspeitos de tiros que mataram garota de 6 anos

Segundo informações da polícia, fornecidas nesta segunda-feira (7), as primeiras informações indicam que uma disputa entre traficantes de drogas da região pode ter causado o atentado que deixou outros cinco feridos. Uma das vítimas chegou a ser atingida na cabeça, mas passa bem no Hospital Geral do Estado. Dois dos baleados eram alvos dos suspeitos, informou a polícia.

Enterro

A família, os amigos e os vizinhos estavam inconformados no enterro, que aconteceu no cemitério Quinta dos Lazáros. Muito abalada, a mãe dela mal conseguia falar. "Tem que ter justiça, era uma menina inocente", lamentou Iranildes Gomes.

O crime foi na Rua do Arrastão, no bairro de Pernambués. Uma festa de aniversário estava sendo comemorada em um bar e a rua estava movimentada. Por volta das 19h testemunhas disseram que pelo menos dois homens já chegaram atirando. Houve correria. Cinco pessoas ficaram feridas.

Franciele levou um tiro no peito e morreu a caminho do hospital. A menina era neta do dono do bar, Francisco Gomes. "Ela toda hora estava aí, "vovô, vovô". Perdi Franciele, minha neta... não volta nunca mais", disse, emocionado, o comerciante. Ela faria sete anos em novembro. O pai da menina pediu "justiça" e menos violência. "Essa violência tem que acabar. Ela tinha muitos sonhos pela frente, estudava, gostava de estudar. Era uma menina muito guerreira", disse Carlos Souza.

A criança era sobrinha da ex-vereadora de Salvador Léo Kret, que conquistou fama como dançarina do Saiddy Bamba. "A gente mora em cima de um bar, que é de meu pai. Eu tinha acabado de sair e deixei todo mundo aqui. O povo começou a dançar na rua, quando apareceu um rapaz, ninguém sabe quem foi, atirando para todo lado", afirmou Léo Kret

Revolta

Cerca de 200 pessoas protestaram na Avenida Paralela nesta segunda, revoltados com a morte da criança de seis anos, atingida por disparo de arma de fogo no Alto do Cruzeiro. A mobilização foi iniciada por volta das 17h e, por volta das 18h, tinha acabado.

O caso é apurado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Na hora em que aconteceu o crime, os moradores participavam de uma festa em frente a um bar, que é do pai da vereadora e da mãe da vítima. Segundo testemunhas, dois homens chegaram já atirando. Quem estava do lado de fora, tentou se proteger dentro do bar. A menina foi ferida no peito.

Fonte: G1