Duas semanas após ataque, atirador de Realengo é enterrado

Duas semanas após ataque, atirador de Realengo é enterrado

Ele não precisou ser enterrado como indigente, mas foi colocado em uma cova rasa.

Duas semanas após o ataque em Realengo, em que matou 12 crianças, o corpo do atirador Wellington Menezes de Oliveira foi enterrado nesta sexta-feira (22) no Cemitério São Francisco Xavier, no Caju, na Zona Portuária do Rio. A informação foi confirmada pelo Instituto Médico Legal (IML) e pelo próprio cemitério.

De acordo com o cemitério, o enterro aconteceu às 9h, a partir de um ofício do IML, com autorização judicial para o sepultamento. O prazo para a família reclamar o corpo vencia nesta quinta. Como o reconhecimento já havia sido feito na escola no dia de sua morte, ele não precisou ser enterrado como indigente, mas foi colocado em uma cova rasa.

Em uma carta encontrada com ele no dia do massacre, Wellington havia pedido para ser enterrado com um lençol branco no Cemitério do Murundu, em Realengo, ao lado do corpo da mãe, morta há cerca de dois anos.

Três vítimas seguem internadas

Três crianças vítimas de Wellington seguem internadas. Na quarta-feira (20), um menino que havia retornado ao hospital após receber alta, foi novamente liberado.

Uma menina de 13 anos, internada do Hospital Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, passou por uma nova cirurgia. Segundo informações da Secretaria estadual de Saúde, "ela permanece em observação no Centro de Terapia Intensiva (CTI) pediátrico, com quadro regular, que inspira cuidados". Um menino, também de 13 anos, permanece em observação no mesmo hospital.

Já no Hospital Albert Schweitzer, um menino de 14 anos, também ferido no ataque, continua internado no CTI e apresenta melhora clínica satisfatória e quadro de saúde estável.

Fonte: g1, www.g1.com.br