"Ele não ia pagar pelo programa", diz suspeito de matar um homossexual

Rogério Alves, de 19 anos, e Thiago Morais, de 26, vão responder por homicídio duplamente qualificado



A polícia decidiu indiciar por homicídio duplamente qualificado, por motivação homofóbica, os dois suspeitos de matarem um homossexual a pedradas em Maricá, na região metropolitana do Rio. Na delegacia, Rogério dos Santos Alves, de 19 anos, e Thiago Morais, de 25, confessaram o assassinato.

Segundo as investigações, Fábio da Conceição, de 36 anos, foi atacado porque teria se recusado a pagar por um programa (cerca de R$ 150). O corpo foi encontrado na parte de trás do carro dele com marcas de pedradas na cabeça e o rosto desfigurado.

Os suspeitos foram localizados pela polícia após uma denúncia anônima portando um saco de gasolina a chave do automóvel de Fábio. Ainda de acordo com a polícia, a intenção era incendiar o veículo da vítima com o corpo dentro.

O suspeito Thiago Morais deu detalhes sobre o crime à reportagem:

? Ele chamou a gente pra beber cerveja e chegou lá com outro papinho, querendo sexo. Ficou nervoso, falou que não ia pagar e nós só tomamos nossa atitude, a intenção não foi de matar, nós estamos arrependidos e acabou.

Os supostos responsáveis pelo crime e a vítima foram vistas conversando em um bar, momentos antes da morte. A polícia informou que aquele local, em frente à rodoviária de Maricá, é um conhecido ponto de encontro entre homossexuais e garotos de programa.

Os suspeitos não levaram dinheiro após matarem Fábio da Conceição.Para Well Castilhos, da Secretaria de Direitos Humanos de Maricá, o rapaz foi vítima de preconceito.

? Eles iam queimar o carro com o corpo dentro. Mataram a pedradas. Isso caracteriza ódio aos homossexuais.

Fonte: R7, www.r7.com