Eletrobrás vai depor sobre bebê eletrocutado

Eletrobrás vai depor sobre bebê eletrocutado

O laudo do IML confirmou que a causa da morte da criança foi uma forte descarga elétrica.

A delegada do 1º Distrito Policial de Parnaíba, Valéria Cunha, intimou o engenheiro e toda a equipe de eletricistas da Eletrobrás que estavam de plantão no último dia 24 de janeiro para prestar esclarecimentos sobre a morte da criança de 1 ano e 8 meses, Sara Evelyn Neves de Sousa, segundo o Portal Costa Norte.

De acordo com o site, o laudo do Instituto Médico Legal confirmou que a causa da morte da criança foi uma forte descarga elétrica. O investigador do 1º DP, Robson Castilho, disse ainda que a equipe terá que explicar o motivo de terem modificado o local onde a vítima morreu.

?Eles retiram a prova do local. Quando a polícia chegou lá, o fio já havia sido recolocado no poste e a criança já estava na urna. Não tivemos como fazer uma perícia completa, porque eles alteraram as provas?, argumentou o investigador ao Costa Norte.

Além da Eletrobrás, os bombeiros que atenderam à ocorrência também foram intimados. Todos prestarão depoimento na próxima segunda-feira (30) ?A delegada precisa saber se eles fizeram algum laudo, algum relatório do caso?, disse Castilho.

O laudo definitivo da perícia será entregue à delegada também na segunda-feira. De acordo com o investigador, várias testemunhas já foram ouvidas. ?Muita gente informou que havia ligado para a Eletrobrás para pedir que viesse uma equipe resolver o problema. Isso teria sido antes da morte da criança, o que indica que tudo poderia ter sido evitado?, explicou Castilho.

MORTE

Sara Evelyn Neves de Sousa morreu na manhã da última terça-feira (24), ao tocar em um fio de alta tensão que teria se soltado do poste de energia elétrica e caído na calçada de sua casa. O acidente aconteceu na localidade de Vazantinha, Ilha Grande de Santa Isabel, litoral do Piauí.

A criança chegou a ser atendida pelo Corpo de Bombeiro e pelo Serviço Médico de Urgência (Samu), mas não resistiu ao choque. A família afirma que entrará com uma ação contra a Eletrobrás.

Fonte: Portal Costa Norte, www.portalcostanorte.com