Em cinco dias, Polícia Militar detém 728 pessoas durante operação

Mais de 400 foram presos em flagrante e 158 procurados foram capturados. Ao todo, 5 mil policiais, incluindo Rota, participam da ação pelo estado.

Em cinco dias da Operação Saturação, iniciada na quarta-feira (10) no estado de São Paulo, a Polícia Militar (PM) deteve 728 pessoas. De acordo com balanço divulgado nesta segunda-feira (15), com dados referentes ao período de 10 a 14 de outubro, 459 pessoas foram presas em flagrante por crime ou contravenção, 111 adolescentes foram apreendidos por atos infracionais e 158 procurados pela Justiça foram capturados.

A operação, que ocorre em todo o estado com bloqueios e ações em áreas de comércio de drogas, pretende prevenir a criminalidade, em especial com uso de motocicletas. Ao todo, 5 mil policiais militares participam da operação, que se concentra em regiões onde ocorreram assassinatos em série nos últimos dias: Zona Sul da capital paulista, Guarulhos, Taboão da Serra e Embu das Artes, na Grande São Paulo, e municípios da Baixada Santista.

Além das prisões, a operação teve 91.619 veículos vistoriados, 80 armas de fogo apreendidas e 155 veículos recuperados. Ao todo, 133.194 pessoas foram abordadas, 6.913 motoristas foram submetidos ao teste do etilômetro e 56 condutores foram autuados em flagrante por dirigirem alcoolizados. A polícia apreendeu mais de 80 kg de drogas durante a operação.

As Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), grupo de elite da PM, canil, Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam), batalhões e policiais do setor administrativo realizam bloqueios e abordagens para combater a criminalidade. São usados também 14 helicópteros nas ações da PM (somente na Baixada Santista são duas aeronaves).

A ação foi desencadeada por causa dos assassinatos de policiais e de civis desde a semana passada. Entre a noite de 8 de outubro e a madrugada de 9 de outubro, oito pessoas morreram em Taboão da Serra, incluindo um PM de folga.

Na Baixada Santista, a Polícia Militar está em alerta em razão de seguidos assassinatos nos últimos sete dias. Apenas na madrugada de 7 de outubro foram seis mortes. Um sargento da PM de folga e o segurança de um buffet foram mortos diante do estabelecimento.

Só este ano, 79 PMs foram mortos, sendo que 62 estavam fora do serviço. ?A polícia tem agido firme, tem enfrentado o crime organizado, especialmente o tráfico de drogas. A morte de policiais é uma forma do crime intimidar o estado. O estado não vai ser intimidado?, disse o governador Geraldo Alckmin.

PM envia alerta a policiais

Um informativo interno da PM que circula entre os policiais pede a eles para não reagirem a assaltos quando estiverem sozinhos. Numa folha de papel, com os logos do governo de São Paulo e o escudo da PM, o boletim "O Patrulheiro" também informa que o policial é ?um alvo em potencial, mesmo de folga? e, por isso, precisa tomar medidas de segurança.

Também pede para quem sofrer qualquer tipo de ameaça avisar o comando ou a corregedoria para ?salvar a sua vida!?. Em nota, a PM afirma que a edição ?foca nas medidas a serem adotadas pelos Policiais Militares quanto à segurança individual. Não é a primeira vez que isso acontece - em outras edições, informações semelhantes foram publicadas - nem será a última?.

Fonte: G1