Durante surto, mulher mata namorado com facada em frente a hospital

O crime aconteceu em frente à Unidade de Pronto Atendimento

Um homem foi morto com um golpe de faca no pescoço durante a madrugada deste sábado em Bauru, no interior de São Paulo. O crime aconteceu em frente à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila Ipiranga.

Patrícia Leonardo, de 22 anos, relatou à polícia que ela e o namorado, Ulisses Fernando da Silva, de 34, passaram a noite ingerindo bebidas alcoólicas em um bar da cidade. Em determinado momento o casal decidiu ir à casa da mãe de Patrícia, mas a mulher não estava no local. Sem as chaves, os dois invadiram o imóvel pulando o muro e uma janela

?Ela relatou que lá ele a convidou para ir até a UPA, mas ela não sabia o porquê. Ela aceitou ir mesmo assim, mas se armou de uma faca de cozinha. A Patrícia cismou que o namorado poderia matá-la, por isso planejou matá-lo antes?, explica o delegado Mário Henrique Ramos.

A suspeita disse ainda ao delegado que se lembrou de um caso ocorrido em dezembro do ano passado. Na ocasião, o corpo de um jovem de 20 anos foi deixado em frente à mesma UPA depois de ter sido espancado. Uma testemunha viu alguns homens deixando o corpo do jovem no local e fugindo na sequência. ?Ela se lembrou desse caso e achou que o namorado faria a mesma coisa?, explica o delegado.

Chegando na unidade de saúde a jovem agrediu o rapaz com a facada no pescoço, sem motivo aparente. Ulisses buscou socorro na UPA, mas devido a gravidade do ferimento que cortou a veia jugular e atingiu a traqueia ele não resistiu e morreu no local. A cena chocou funcionários e pacientes que aguardavam atendimento.

?Ele entrou sangrando muito e ela entrou logo atrás ainda com a faca na mão. A Polícia Militar foi acionada e ela foi presa em flagrante?, disse Ramos.

A suspeita foi levada para o plantão da Polícia Civil, mas o delegado teve dificuldade para ouvi-la, pois ela ainda estava sob efeito de álcool dando informações desencontradas. De acordo com informações da família da vítima à polícia, Patrícia passava por tratamento psiquiátrico no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) pois tinha antecedentes de uso de álcool e drogas.

O caso foi registrado como homicídio simples, quando não há motivo aparente, e ela será encaminhada à cadeia de Pirajuí (SP).

Fonte: Terra