Empresário é acusado de desvio de energia; prejuízo de R$ 386 mil

A prisão foi feita em um sobrado, na rua Gabriel Ferreira, Centro.

Os agentes da GRECO (Grupo de Repressão ao Crime Organizado) e da Eletrobras detiveram o empresário Humberto Castelo Branco Marques proprietário de uma grande rede de restaurantes de Teresina. A prisão foi feita em um sobrado, na rua Gabriel Ferreira, Centro da Capital, onde funcionava um restaurante e lojas do empresário.

O delegado da Greco, Genival Vilela Lima, informou que Humberto foi preso em flagrante acusado por ligação direta de energia em sua residência que permite o consumo de energia sem registro do consumo e consequente pagamento para a Eletrobras.

Genival afirmou que o empresário há 15 dias também foi preso pela Greco por desvio de energia em seu restaurante. Ele lembrou que Humberto foi libertado na primeira vez após pagamento de fiança.

O delegado disse que tem que esperar chegar os dados do laudo da Eletrobras, para saber se foi furto qualificado de energia ou não. Segundo ele, quando há furto qualificado é o juiz e não o delegado que estabelece o valor da fiança. Também vai verificar se o empresário, por ser reincidente no furto de energia, complicará sua situação legal.

Fábio Victor de Assis Jovelino, gestor de administração da Eletrobras, disse que foram encontrados na residência do empresário Humberto, vestígios de uso de equipamentos, um ímã, que inibe totalmente o parcialmente a contagem de consumo no medidor de energia.

Ele falou que no restaurante que fica na zona leste de Teresina foi encontrado o mesmo equipamento para reduzir o pagamento de energia. Segundo o delegado a fraude no restaurante causou um prejuízo de R$ 386 mil à Eletrobras.

No dia 6 de agosto Humberto foi preso acompanhado de eletricistas. A Eletrobras já tinha encontrado, por duas ocasiões, em fevereiro de 2011 e junho de 2012, problemas de energia elétrica na casa do empresário. Ele estava respondendo de forma administrativa junto a Eletrobras.

A GRECO e a Eletrobras estão investigando para saber quem é o fabricante do equipamento, um ímã, que é usado para inibir a medição de consumo da energia de forma parcial ou total, que vem sendo utilizado largamente em residências e estabelecimentos comerciais e industriais em Picos, Floriano e na Capital para evitar o pagamento da energia.

Delegado da Greco, Genival Vilela Lima (Crédito: Efrém Ribeiro)
Delegado da Greco, Genival Vilela Lima (Crédito: Efrém Ribeiro)



Fonte: Efrém Ribeiro, do Jornal Meio Norte