Empresário é preso após ser flagrado abusando da filha

Após serem abordados, a garota confessou que havia três meses que o pai abusava constantemente dela.

A Polícia Civil de Campinas (93 km de São Paulo) deve abrir um inquérito nesta segunda-feira (1°) para investigar um empresário de 41 anos preso em flagrante enquanto abusava sexualmente da própria filha de 12 anos dentro de um carro no Jardim Santa Cruz. O caso aconteceu no último sábado (29). De acordo com o boletim de ocorrência, uma viatura fazia patrulhamento de rotina pelo bairro quando os policiais suspeitaram do veículo da marca Montana que estava estacionado na Rua Hebert de Souza.

Após serem abordados, a garota confessou que havia três meses que o pai abusava constantemente dela e que ainda não tinha contado para a mãe por medo. O homem foi detido em flagrante por suspeita de estupro de vulnerável, mesmo após alegar que a história era invenção da garota.

No boletim está registrado ainda que, para tentar se livrar da acusação, o homem tentou subornar os policiais com grande quantidade de drogas e armas, inclusive um fuzil e uma metralhadora, que seriam deixados em uma rua de um bairro próximo por dois comparsas. Os policiais fingiram que concordavam para pegar as provas contra o suspeito. No local combinado, os PMs encontraram um revólver e uma pistola.

O delegado Rodrigo Otávio Aidar Monteiro, que atendeu ao caso, disse que também vai investigar a procedência das armas e o suposto envolvimento do homem com a principal facção criminosa do Estado de São Paulo. Após a prisão, o acusado foi encaminhado à cadeia anexa ao 2º Distrito Policial de Campinas sob acusação de estupro.

Devido a uma crise nervosa, a menina foi encaminhada ao Centro de Atendimento de Urgência e Emergência de Valinhos (85 km de São Paulo)e em seguida para o Hospital da Mulher Professor Doutor José Aristodemo Pinotti (CAISM), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), onde permaneceu em observação por cinco horas.

No mesmo dia, acompanhada pela mãe, a menor foi levada para um abrigo sob a custódia do Conselho Tutelar, para acom e, após liberada, foi para casa. A polícia não informou sobre as declarações da mãe.

Fonte: UOL