Empresário afirma que pagou por programas com dançarina sumida

Empresário afirma que pagou por programas com dançarina sumida

Homem nega crime e diz que Fernanda Trindade morreu ao cair de moto aquática

A Divisão de Homicídios do Pará aguarda o empresário Lauro Sérgio Nogueira da Silva para um novo depoimento, ainda sem data marcada. Ele continua sendo investigado nessa segunda fase do inquérito da morte da dançarina de funk Fernanda Trindade, de 20 anos. Logo após o sumiço da jovem, em dezembro, o homem afirmou que pagou por programas com a vítima.

A polícia diz não ter conhecimento de que os dois tivessem algum tipo de romance. Silva disse que estava andando de moto aquática com Fernanda e uma onda os derrubou. O empresário foi encontrado desmaiado na praia e apenas de sunga no dia do acidente.

Na segunda-feira (24), uma ossada foi encontrada por um pescador na ilha de Cotijuba. Junto com ela, havia um maiô e um piercing, que já foram reconhecidos pela família como sendo de Fernanda. Exames necroscópicos vão comprovar a identidade e também a possível causa da morte.

No Facebook de Fernanda, amigos e até pessoas que não conheciam ela cobravam por justiça, alguns deles ainda com a esperança de que a dançarina seja encontrada com vida.

Os laudos do Instituto Médico Legal deverão sair em duas semanas e vão comprovar se a ossada é ou não da jovem.


Empresário investigado por morte de dançarina no PA diz que pagou por programas com vítima

Empresário investigado por morte de dançarina no PA diz que pagou por programas com vítima

Empresário investigado por morte de dançarina no PA diz que pagou por programas com vítima

Empresário investigado por morte de dançarina no PA diz que pagou por programas com vítima

Empresário investigado por morte de dançarina no PA diz que pagou por programas com vítima

Empresário investigado por morte de dançarina no PA diz que pagou por programas com vítima

Fonte: r7