Empresários cearenses estão na mira da PF

Outros dois agentes públicos detidos na mesma operação haviam sido liberados

Depois de prender a chamada ?C?pula Verde? do Cear?, isto ?, os dirigentes dos ?rg?os federal, estadual e municipal respons?veis pela gest?o e fiscaliza??o da preserva??o do Meio Ambiente, a Pol?cia Federal agora investiga empres?rios brasileiros e estrangeiros dos setores imobili?rio, hoteleiro e tur?stico que teriam sido beneficiados com as licen?as ambientais concedidas irregularmente pelo Ibama, Semace e Semam. Pelo menos, provisoriamente, suas identidades e os nomes de seus empreendimentos s?o mantidos em sigilo.

Enquanto a PF aprofunda as investiga?es na an?lise dos documentos apreendidos durante a ?Opera??o Marambaia?, o superintendente do Ibama no Cear?, Raimundo Bonfim Braga, o ?Raimundo Kamundo?; e o chefe do escrit?rio do ?rg?o em Aracati (Litoral Leste do Estado), Ant?nio C?sar Rebou?as; permanecem presos.

Outros dois agentes p?blicos detidos na mesma opera??o haviam sido liberados ainda na noite de quarta-feira; o titular da Superintend?ncia Estadual do Meio Ambiente (Semace), Herbert Vasconcelos; e a secret?ria municipal do Meio Ambiente, arquiteta Daniela Valente Martins.

Os dois tiveram a pris?o tempor?ria revogada pelo juiz substituto da 11? Vara da Justi?a Federal no Cear?, Ricardo Ribeiro Campos, o mesmo que havia assinado os quatro mandados de pris?o e outros 14 de busca e apreens?o, autorizando a opera??o da PF.

?Raimundo Kamundo? chegou a Fortaleza na noite de quarta-feira (29). Ele havia sido detido, na noite anterior, no Aeroporto de Guarulhos, em S?o Paulo, por agentes da Pol?cia Federal, no setor de embarque. Seu depoimento ser? tomado somente hoje.

De acordo com o superintendente da PF no Cear?, delegado Aldair da Rocha, o titular do Ibama no Estado estaria agindo ?em conluio? com a secret?ria Daniela Valente Martins e com o superintendente Herbert Vasconcelos Rocha.

Os dois, conforme a PF , teriam favorecido empreendedores nacionais e estrangeiros, concedendo-lhes as licen?as ambientais para a constru??o de hot?is, resorts, barracas de praia e outros equipamentos de cunho tur?stico e hoteleiro em ?reas de prote??o ambiental, mesmo com parecer desfavor?vel de t?cnicos das institui?es sob suspeita.

As investiga?es da PF se desenrolavam desde maio do ano passado e apontaram que os empreendimentos favorecidos com as licen?as do Ibama, Semace e Semam estavam instalados na orla mar?tima de Fortaleza, em praias e serras no Pec?m (em S?o Gon?alo do Amarante), Cumbuco (Caucaia), Aracati, Guaramiranga e no Munic?pio de Crate?s.

Para chegar aos acusados, a PF se utilizou da escuta telef?nica, com a quebra de sigilo autorizada pela Justi?a Federal. O chefe da investiga??o, delegado Cl?udio Joventino, e sua equipe, levantaram ind?cios de crimes de tr?fico de influ?ncia, prevarica??o, corrup??o (ativa e passiva), viola??o de sigilo funcional e crimes ambientais.

Fonte: Diário do Nordeste