Envenenamento foi causa da morte de empresário achado em motel

Não foi esclarecido se o empresário tomou o veneno ou se alguém deu

Envenenamento por chumbinho foi a causa da morte do empresário Paulo Cesar de Barros Morato, achado em um motel de Olinda, no Grande Recife, no dia 22 de junho e alvo da Operação Turbulência, da Polícia Federal.

Os exames histopatológico e toxicológico nas vísceras de Morato apontaram uma "intoxicação exógena por organofosforado", informou a Polícia Científica de Pernambuco nesta quinta-feira (30).

Não foi esclarecido se o empresário tomou o veneno ou se alguém deu a ele. "Houve envenenamento por chumbinho no Paulo César Morato. Quando todos os exames estiverem concluídos, serão encaminhados para a Polícia Civil fazer o inquérito e definir se o que aconteceu com o empresário foi suicídio ou assassinato", informou Otávio Toscano, gerente de comunicação da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS).

Segundo a Polícia Científica, já foram concluídos os exames de DNA, histopatológico e toxicológico nas vísceras do empresário. Ainda faltam ser concluídas as perícias das imagens das câmeras do motel, papiloscopia, química, tanatoscópica e local de morte.

De acordo com a SDS, a previsão é de que o corpo do empresário seja liberado para a família na sexta-feira (1º).


Corpo do empresário  foi encontrado em motel (Crédito: Divulgação)
Corpo do empresário foi encontrado em motel (Crédito: Divulgação)


Fonte: G1