"Arrependido", diz suspeito de abusar de 15 mulheres em ônibus

"Arrependido", diz suspeito de abusar de 15 mulheres em ônibus

Casado há três anos, ele disse que sente vergonha e acredita que precisa de um tratamento psicológico.

O vendedor de 28 anos que foi preso sob suspeita de abusar de pelo menos 15 mulheres, dentro de ônibus coletivo, garantiu estar arrependido do que fez. Apresentado nesta quinta-feira (8) na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), o suspeito foi apelidado como o "Tarado da 087", em referência à linha de ônibus que ele costumava andar e cometer o abuso, conforme as delegadas Rozely Molina e Marília de Brito Martins.

"Estou arrependido. Não sei explicar o porquê [dos crimes]. Nunca mais vou fazer isso", afirmou o suspeito ao G1 enquanto chovara.

Casado há três anos, ele disse que sente vergonha e acredita que precisa de um tratamento psicológico. O homem não tinha passagem pela polícia. A pena para o crime de violação sexual mediante fraude, que é considerado hediondo, varia de dois a seis anos de reclusão.

Segundo Rozely, que é titular da Deam, a primeira denúncia contra o vendedor foi feita em 3 de maio. A vítima disse à polícia que estava em um ônibus coletivo lotado, quando percebeu que suspeito se "esfregou" atrás dela, tirou o órgão genital para fora da calça e se masturbou. A delegada explicou que a maioria das vítimas não percebia a ação do suspeito, por isso o crime foi qualificado como violação sexual mediante fraude.

"O estupro é praticado mediante violência física ou grave ameaçada. Na violação sexual, a vítima está impossibilitada de manifestar a vontade dela porque não sabe o que está acontecendo. Se soubesse, ela impediria", explicou Rozely.

De acordo com ela, o suspeito agia sempre por volta das 7h (de MS), horário de maior movimento de passageiros em ônibus, enquanto estava a caminho do local de trabalho.

Marília, adjunta da especializada, disse que policiais da Deam passaram a frequentar a mesma linha de ônibus usada pelo suspeito, na tentativa de identificá-lo com base na descrição física feita pela vítima.

"No dia 11 de julho, um novo fato aconteceu no mesmo coletivo, e nós já estávamos monitorando. Conseguimos capturá-lo, mas não conseguimos localizar a vitima, que foi embora no ônibus", explicou. Marília disse que o vendedor foi levado para a delegacia, onde confessou 15 casos e disse que praticava os crimes há aproximadamente dois meses.

"Ele disse que não conseguia resistir. Inicialmente ele disse que só se esfregava nas mulheres, depois ele passou a retirar o pênis dentro do coletivo e se masturbar", afirmou a delegada adjunta. O homem, segundo a polícia, pegava três ônibus para chegar ao trabalho e geralmente praticava os crimes no segundo ônibus, para evitar que passageiros e possíveis vizinhos o reconhecessem.

As roupas de uma das vítimas foram recolhidas para perícia. O laudo atestou que havia presença de esperma. A polícia aguarda agora o exame de DNA para confrontar o material encontrado com o sêmen do suspeito.

As delegadas fazem o alerta para que outras vítimas que tenham passado pela mesma situação procurem a Delegacia da Mulher em Campo Grande, localizada na rua Sete de Setembro, 2.421. Rozely afirma que as mulheres têm feito mais denúncias contra crimes de abuso sexual e violência.

Fonte: G1