Perigo: Estradas e ônibus intermunicipais continuam sendo alvo de assaltantes

Perigo: Estradas e ônibus intermunicipais continuam sendo alvo de assaltantes

Este ano, a Polícia Rodoviária Federal já contabilizou no primeiro semestre deste ano dois assaltos na BR-316

As estradas continuam sendo alvo de assaltantes e apesar das ações, órgãos têm dificuldades de contabilização. No ano passado, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) notificou três casos de assaltos em viagens interestaduais na BR-020, região de Simplício Mendes. Já no ano de 2013 a PRF contabilizou dois assaltos a ônibus na BR-316, divisa com estado do Pernambuco.

Nos três casos de 2012, o assaltante pegou o veículo como passageiro e praticou o crime. Já nos casos ocorridos este ano, os ônibus foram abordados por motociclistas.

De acordo com Inspetor da PRF, Raimundo Rameiro, os casos podem ser mais numerosos, visto que nem sempre os motoristas levam o caso ao conhecimento do órgão, que é responsável por esta notificação.

O Inspetor explica que é muito importante que os casos de ocorrência de assaltos a ônibus sejam prontamente comunicados à PRF. ?Depois de efetivamente notificada deverá ser desencadeado trabalho para repressão a este crime, que se inicia com levantamento de inteligência?, afirma.

O trabalho de inteligência poderá provocar operações de policiamento no trecho sob risco de assalto, detendo ou afastando a ação criminosa mediante a presença ostensiva da fiscalização, segundo a PRF. A PRF no Piauí conta com 09 (nove) postos de fiscalização distribuídos em 2.500 Km das rodovias federais neste estado, os quais devem ser procurados para as notificações.

?A fiscalização é rotineira nos postos da PRF, a partir da verificação dos documentos dos passageiros em viagens interestaduais, por força de convênio com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT)?, conta Rameiro.

O inspetor verifica que os registros de assalto têm ocorrido onde há reduzida ação de fiscalização por conta da insuficiência de efetivo. Todavia, segundo ele, nestes locais têm sido encaminhados agentes do grupamento de operações especiais da PRF para repressão a este tipo de crime.

Segundo a PRF, na maioria das vezes os motoristas optam por fazer a denúncia nas delegacias dos municípios, para abrir inquérito. Rameiro também dá dicas de segurança para motoristas de ônibus.

?Considerando que uma das formas de atuação criminosa relacionada com a admissão de passageiros ao longo do percurso, as empresas precisam ser mais criteriosas na admissão destes. Podendo, inclusive, como já é prática de algumas empresas, só admitir passageiros nos pontos de parada ou em terminais regulares, onde se possa proceder a devida identificação dos passageiros?, conclui.

Fonte: Sarah Fontenele