Estudante é morto a facadas em república, afirma Polícia Militar

Estudante é morto a facadas em república, afirma Polícia Militar

Crime ocorreu na madrugada desta quinta-feira em casa no Horto. Vítima é natural do Ceará; colega de Sergipe é suspeito do crime

Um estudante do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa) foi encontrado morto, com marcas de facadas no corpo, na manhã desta quinta-feira (25) em uma república no Horto, na Zona Sul do Rio. José Leandro Pinheiro, de 21 anos, é natural do Ceará e teria sido morto nesta madrugada, durante uma festa na república, que fica na Rua Pacheco Leão.

De acordo com o comandante do 23º BPM (Leblon), tenente-coronel Luiz Otávio Lopes da Rocha, o colega de quarto da vítima será levado para a Divisão de Homicídios (DH), na Barra da Tijuca, Zona Oeste da cidade, para prestar depoimento, como suspeito do crime. Ele foi encontrado desacordado na cozinha da casa e encaminhado para o Hospital Miguel Couto, na Gávea, Zona Sul.

O G1 tentou localizar a defesa ou a família do jovem natural de Sergipe, suspeito da morte de José Leandro, mas, até as 15h30, não havia conseguido. Tanto na delegacia como no hospital, ainda não havia representante do estudante.

O Impa confirmou que os dois são alunos do mestrado de Matemática. Segundo a polícia, a vítima e o suspeito dividiam um quarto na república. No local vivem cerca de 15 estudantes, homens e mulheres.

Comportamentos distintos

Amigo de mestrado de Leandro no Impa, Tiago Augusto Silva Dourado, 27 anos, disse que a vítima era uma pessoa bastante sociável e participaria de uma festa marcada nesta quinta para os aniversariantes de outubro do Impa, que foi cancelada após o crime. "O Leandro era uma pessoa simpática, extrovertida, conversava com todo mundo, levava tudo na brincadeira e não tinha contato com drogas ou bebidas", afirmou. "Ele batia cartão das 9h às 21h estudando", completou, acrescentando que na véspera do crime tomou café com o estudante no Impa, como fazia diariamente.

Mas, ainda de acordo com Tiago, o comportamento do suspeito era bem diferente. "Ele era um pouco antissocial, não conversava muito com as pessoas, tinha um comportamento fechado", disse o estudante, acrescentando que soube por um outro amigo em comum que o "Leandro chegou a comentar que trocava no máximo entre quatro ou cinco palavras com o colega de quarto, apesar de ser seu colega de quarto".

De acordo com um amigo da vítima, que fez o reconhecimento do corpo, mas não quis se identificar, José Leandro morava na república há cerca de um ano. "Ele não tinha nenhum problema de relacionamento, era uma pessoa calma, tranquila", contou.

Estudantes são ouvidos

A polícia investiga se havia bebidas alcoólicas e drogas no local. A PM informou que o corpo do estudante foi encontrado na cama de barriga para cima e ao lado dele estava uma pedra. Os policiais informaram que o estudante morto tinha um ferimento na cabeça, provavelmente provocado pela pedra, e um no peito, de faca. A faca que teria sido usada no crime foi encontrada em cima de um armário entre o quarto e a cozinha, ainda segundo os agentes.

A polícia informou ainda que os estudantes que moram na república contaram que quem achou o corpo de José Leandro foi o caseiro. Por volta das 12h, cerca de dez estudantes que vivem na república conversavam com a polícia dentro da casa.

Eles disseram que foram dormir por volta de 1h da madrugada e que ninguém ouviu nenhuma briga nem barulho. Os estudantes também negam que tenha havido festa na casa.

O caso foi registrado na 14ª DP (Leblon) e será investigado pela DH.

Fonte: G1