Estudante é roubada e atropelada dentro do campus da universidade

Ela chegou a ficar desmaiada por 1 hora

A estudante do curso de filosofia que teve o carro e outros pertences roubados na tarde de quarta-feira (25) no campus da Universidade de São Paulo (USP) soube nesta sexta-feira (27) que escapou por muito pouco de se ferir ainda mais gravemente no violento episódio. Ela fez um exame de corpo de delito à tarde no Instituto Médico Legal (IML) central para o inquérito que investiga o roubo.

Como resultado do exame, a jovem de 21 anos descobriu, por exemplo, que tem até uma marca de pneu no ombro. Ou seja, ela foi atropelada pelo rapaz que a assaltou e a agrediu com violência. A estudante contou ao G1 os momentos dramáticos que viveu quando chegava para estudar, por volta das 14h. Com medo, ela pediu para não ter o seu nome revelado. Ela disse que, na quarta-feira, nem bem estacionou o carro na avenida próxima à raia olímpica e já foi abordada pelo ladrão, que estava armado de uma faca grande.

“Ele abriu a porta, entrou no carro e colocou a faca na minha garganta. Ele não pediu nada. Só foi gritando e eu fui me afastando. Fui para o banco do passageiro, abri a porta e caí no chão, ao lado do carro”, disse. Mesmo caída, ela afirmou que foi agredida pelo assaltante. “Ele começou a me bater no rosto. Levei chutes.

Desmaiei. Acordei apenas uma hora depois”, relatou. Ela foi levada para o Hospital Universitário, onde, segundo a estudante, a principal preocupação foi fazer uma tomografia para verificar possíveis lesões na cabeça. Na quinta-feira (26) de manhã, ela teve de ir ao 93º DP, no Jaguaré, na Zona Oeste, para reconhecer o homem que havia lhe roubado e agredido. Ele tinha sido preso momentos antes pela polícia. “Tive de fazer o reconhecimento. Fiquei com muito medo”, contou.

Ela recuperou o carro, mas os demais objetos que estavam dentro, como o celular, a bolsa e até mesmo o estepe, se perderam. E nesta sexta-feira, com o exame no IML, ela soube que tudo poderia ter sido ainda pior. “O médico do IML confirmou que levei coronhadas na cabeça. Levei 20 pontos na cabeça. Tenho uma marca de pneu no ombro. Na fuga, ele me atropelou, passou por cima do meu ombro, provavelmente com o pneu traseiro. Felizmente, não houve fratura. Poderia ter sido ainda mais grave”, disse.

Ela disse que nunca imaginou que pudesse viver tal situação em pleno campus da universidade. Com o ocorrido, a aluna afirmou que vai mudar o seu comportamento quando voltar a ter aula na próxima semana. “Ouvi um policial dizendo que sempre tem roubo de carro lá dentro.

Agora vou ser muito mais cautelosa, por causa do medo”, finalizou. Em nota, a USP informou que "assim que a estudante foi abordada, o posto de observação da segurança do campus, que fica próximo ao local, acionou a Guarda Universitária, que imediatamente socorreu a vítima, levando-a ao Hospital Universitário, e informou a Polícia Militar do ocorrido".

Fonte: g1, www.g1.com.br