Estudante pode ter sido morta por possessividade, diz irmã

Estudante pode ter sido morta por possessividade, diz irmã

O assassinato aconteceu na frente dos três filhos do casal, um de 12, um de dez e outro de sete anos

Nesta terça-feira, 17, a irmã da estudante Ruthinéia dos Santos, 33, assassinada pelo marido a golpes de faca na frente dos filhos nesta segunda-feira, 16, fez um depoimento emocionado ao programa Agora, da Rede Meio Norte.

O assassinato aconteceu por volta das 6h30 na Avenida João Henrique Gayoso, no bairro Saci, zona sul de Teresina. A barbaridade chocou vizinhos e moradores do bairro.

Segundo a irmã, o sentimento que tomava conta de Felipe, esposo da vítima, era de possessividade, o que pode ter ocasionado a morte da estudante. ?Ele disse que amava o marido mas ia se separar dele porque não aguentava o sofrimento. Ele beijava ela, mas era só falsidade. Ela me dizia que quando chegava em casa ele a xingava e a agredia. Eu pedi a ele que se separasse dela porque eu via que ele ia matar minha irmã. Ele me dizia que nunca ia fazer isso. Eu tinha certeza que ele não estava normal?, conta a irmã Dulcinéia dos Santos.

O assassinato aconteceu na frente dos três filhos do casal, um de 12, um de dez e outro de sete anos. De acordo com Dulcinéia, os filhos serão criados pela família da mãe.

?A mulher vive hoje em cárcere privado na opressão e na tortura psicológica. Eu não sou ruim, nós estamos protegendo a vida. Uma mulher que tem medo do homem, ela não vive e sim sofre?, disse a delegada Vilma Alves.

"A forma como os homens vêm matando suas mulheres é preocupante. Cada vez mais esses homens agressores têm suas mulheres como propriedade. Eles costumam exigir das mulheres coisas absurdas, alguns deles cheiram as mulheres para tentar encontrar perfume de outros homens, isso é um absurdo! Não é matando e nem torturando que a mulher vai gostar do homem", encerra.

MATÉRIA RELACIONADA

Marido mata esposa com várias facadas na frente dos filhosi

Fonte: Denison Duarte