Estudante sofre uma tentativa de estupro dentro da Uespi

Estudante sofre uma tentativa de estupro dentro da Uespi

“Eu me senti impotente porque não tinha ninguém para me ajudar e nem tinha para onde correr"", disse ela

Uma estudante sofreu uma tentativa de estupro por volta das 20h30, desta terça-feira, 6, quando saia de uma sala de aula da Universidade Estadual do Piauí (Uespi). A vítima foi abordada por seis homens, que estavam reunidos em um campo de futebol dentro do Campus da instituição.

Na tentativa se dirigir a um dos corredores que dão acesso à parte interna da universidade, ela foi surpreendida por um dos homens, que a ameaçou de arrastá-la pelo local. A vítima fugiu tentando encontrar ajuda na rua João Cabral, a 100 metros do local, onde foi abordada novamente, desta vez, de forma mais violenta.

Informações apontam que a estudante tentou e conseguiu se soltar do agressor chegando a ser socorrida por uma família que mora próximo à universidade.

As mãos trêmulas, o olhar amedrontado e a voz embargada dão evidências do pânico vivido pela estudante, além do nervosismo e do pânico que ainda prevalecem na vítima. ?Eram seis homens que me abordaram com gracinhas e com palavras abusivas. Não satisfeitos com isso, eles partiram para a agressão. Eles tentaram me arrastar pelo braço e me levar para o lugar onde eles estavam?, relata a vítima.

Segundo a estudante, os alunos vivem amedrontados, principalmente no turno da noite em razão da pouca iluminação. Dentre os fatores que contribuem para a preocupação dos acadêmicos estão o mato dentro do Campus e o fácil acesso às dependências do local, o que facilita a ocorrência de abordagens criminosas como assaltos e tentativas de estupro.

?Eu me senti impotente porque não tinha ninguém para me ajudar e nem tinha para onde correr. Eu achei que fosse morrer ali mesmo?, conclui a vítima.

Informações da Reitoria da Universidade Estadual apontam que existem apenas quatro seguranças armados fazendo a fiscalização na Instituição de Ensino. Segundo ela, a quantidade é pouca, mas já foi solicitado ao governo do estado um reforço do efetivo de seguranças. No local onde a estudante afirma que sofreu nós já colocamos um segurança armado para tentar inibir esse tipo de atitude?, disse o vice-reitor da Universidade Estadual do Piauí(Uespi), professor Nouga Cardoso Batista.

VEJA A REPORTAGEM

Fonte: Denison Duarte