Estupro coletivo: Dois acusados são transferidos para presídio

Pai de Lucas Perdomo diz que filho é ' um bom menino'

Lucas Perdomo Duarte Santos, de 20 anos e de Raí de Souza, 22 anos, suspeitos de participar do estupro coletivo de uma adolescente de 16 anos na Zona Oeste do Rio, foram levados na tarde desta quinta-feira (2) para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste.

Segundo o chefe das Delegacias Especializadas do Rio de Janeiro, Ronaldo Oliveira, Raphael Assis Duarte Belo, de 41 anos, que se entregou à polícia nesta quarta-feira (1º), vai permanecer na Cidade da Polícia, na Zona Norte, para um possível novo depoimento.Lucas foi preso na segunda-feira, enquanto dava uma entrevista num restaurante no Centro do Rio. Ele foi apontado como namorado da vítima. Outro preso é Raí de Souza, 22 anos, que chegou a afirmar que foi o autor o vídeo em que a adolescente aparece desacordada, que foi publicado em redes sociais.

Já dentro do carro queo levava para o presídio, Lucas Perdomo foi perguntado sobre a esperança de sair. "Esperança não, mas tenho fé", disse ele.Apesar da transferência, o advogado Eduardo Antunes, que representa Lucas, afirmou que está confiante que seu cliente ganhe liberdade até esta sexta-feira (3).

De acordo com Antunes, Lucas Perdomo não estaria com a jovem no momento do crime. "A gente teve o depoimento da nossa testemunha, confirmando as informações das conversas 'printadas' nas redes sociais [com a vítima do estupro, que atestariam que Lucas não teve envolvimento com o crime. Depois de todos os depoimentos as coisas estão convergindo para que a nossa tese seja acolhida, com relação a não participação do Lucas no ocorrido. Estamos confiantes que sim [consiga a revogação da prisão do Lucas], se não hoje, amanhã no máximo. Estamos trabalhando para isso, o mais rápido possível. Estamos bem confiantes que ele seja libertado", disse.

Acusados de estupro coletivo são transferidos (Crédito: Divulgação)
Acusados de estupro coletivo são transferidos (Crédito: Divulgação)


Mensagem de celular como prova da inocência

Eduardo Antunes apresentou na tarde de quarta-feira (1º) uma testemunha que, segundo ele, tem provas que inocentariam seu cliente da acusação de participação do estupro. As provas seriam conversas pelo aplicativo de celulares Whatsapp, nas quais a vítima diria que Lucas não teve participação no estupro, segundo o advogado.

A jovem de 20 anos foi levada pelo advogado de Lucas para a Cidade da Polícia. Os dois foram recebidos por agentes, mas a polícia ainda não confirmou que tomou o depoimento dela.

Na conversa mostrada apelo advogado, uma pessoa que segundo ele seria a testemunha, pergunta para outra, que seria a vítima, se "foi o Petão mesmo", supostamente se referindo a Lucas. Uma das respostas é "Não (sic) tá louca", na interpretação do advogado negando que seu cliente participou do estupro.Também defensora de Lucas, Renata Barcelos, levou uma quentinha para o cliente no início da tarde desta quinta e afirmou que o rapaz quer duas coisas: retomar a carreira de jogador de futebol e distância de bailes funk.

"Ele quer sair e retomar a vida dele, a carreira dele, porque antes disso ele estava sendo cotado para outros times. Está muito confiante e não quer saber mais nada disso, nem a baile quer ir mais. Ele pensa apenas em ser liberado", disse Renata, acrescentando que Lucas está melhor psicologicamente.

"Ontem ele estava mal, chorou muito. Hoje não, está bem e confiante. Consegui entregar a refeição e agora estou indo buscar água. A roupa ele não quis, porque se ele entrar no presídio vai perder a roupa, que é de grife", afirmou.

Os pais de Lucas Perdomo, de 20 anos, conseguiram uma autorização para falar com o filho na tarde desta quinta-feira (2). Segundo Silvio Cesar Duarte Santos, a família está sofrendo muito com as acusações.

"Eu vou falar com meu filho, o jogador. O atleta. Podem marcar o nome do meu filho aí", disse Silvio Cesar, chorando muito.

A defesa de Lucas Perdomo entrou com um pedido de habeas corpus nesta quinta-feira (2). O pai do jogador de futebol está confiante de que o habeas corpus será concedido ao filho.“Estamos no aguardo da decisão que vai libertar o meu filho. Estou muito feliz, tudo que tinha que ser dito já foi dito. Agora é aguardar", disse o pai do suspeito.Silvio contou ainda que o jovem chorou muito ao rever a família.

“Meu filho é um bom menino”, fez questão de dizer.

Raí de Souza, de 22 anos, e Lucas Perdomo Duarte Santos, de 20 (Crédito: Estadão)
Raí de Souza, de 22 anos, e Lucas Perdomo Duarte Santos, de 20 (Crédito: Estadão)


Fonte: G1