"Eu falei que política era coisa suja", desabafa mulher de candidato morto

Crime político é uma das principais linhas de investigação.

O empreiteiro Sandro Márcio de Souza Paulo, o Sandro Gica, de 42 anos, candidato a vereador pelo PMDB em Cachoeiras de Macacu, na Região Serrana, foi morto com três tiros na porta de casa, segunda-feira à noite, no bairro Jardim Anastácio.



O corpo foi encontrado somente às 6h de ontem pelo filho mais velho da vítima, João Pedro, de apenas 9 anos, depois de um telefonema informando que o corpo estava na calçada.

Crime político é uma das principais linhas de investigação da 159ª DP (Cachoeiras de Macacu), já que a vítima liderava pesquisas de intenção de votos na cidade, de pouco mais de 53 mil habitantes.

O delegado Leandro Aquino não deu entrevistas, segundo ele, para não atrapalhar as investigações. Entre as pessoas que prestaram depoimentos, está uma testemunha.

Sandro voltava de compromisso de campanha quando desconhecidos o teriam abordado. Ele foi atingido com tiros na cabeça, num dos braços e nas costas .

A mulher dele, Cláudia Sodré, dormia na casa com João Pedro e outro filho do casal, Guilherme, 6. Vizinhos pensaram que os disparam fossem fogos de artifício, pois o assassinato ocorreu logo após o amistoso Brasil 8 x 0 China.

?Te mataram, meu amor, só porque você queria vencer. Eu te falei que política era coisa suja?, desabafou, chorando, Cláudia, durante o funeral, no Cemitério de Japuíba, distrito do município. Cerca de 500 pessoas compareceram ao cortejo.

Parentes e amigos disseram desconhecer que ele vinha sofrendo ameaças. ?Não tinha inimigos, pois só fazia o bem?, lamentou o coordenador de campanha do empreiteiro, Jadir Toledo.

Sandro Giga disputaria uma das 13 vagas de vereador no município serrano. Ele tinha 23% a mais que o segundo colocado nas intenções de votos, segundo última pesquisa da Virtù Consultoria, feita com 450 eleitores no dia 7 de agosto e registrada no TSE com o número 00037.

Fonte: O Dia Online