Ex-namorado é único suspeito de matar professora dentro de casa

Ex-namorado é único suspeito de matar professora dentro de casa

Briggida Lourenço foi encontrada morta no próprio apartamento em João Pessoa, PB

O delegado Antônio Brayner está investigando o caso da professora universitária Briggida Rosely de Azevedo Lourenço, de 27 anos, que foi encontrada morta na terça-feira (19) no próprio apartamento em João Pessoa. De acordo com o delegado, o único suspeito de ter cometido o crime é Gilberto Lyra Stuckert Neto, o ex-companheiro da vítima. ?Ele ligou para família da vítima e está desaparecido?, explicou o delegado.

O velório acontece nesta quarta-feira (20) no Parque das Acácias, em João Pessoa, e o enterro do corpo está previsto para ocorrer às 16h.

Roselma Azevedo, mãe da professora do curso de Arquivologia da Universidade Estadual da Paraíba, disse que recebeu uma ligação no fim da tarde de Gilberto. ?Ele estava chorando e disse que tinha feito uma besteira. Ele disse que ia se matar?, Roselma Azevedo ainda pediu para ele que não fizesse isso e perguntou pela filha. ?Ele disse que ela estava trancada no apartamento?, disse Roselma que chegando no local encontrou a filha morta.

O delegado Antônio Brayner, ouviu cinco testemunhas na noite da terça-feira na Delegacia de Homicídios em João Pessoa. A família do único suspeito do crime disse para polícia que está abalada com tudo que aconteceu e que não sabe o paradeiro de Gilberto Stuckert.

De acordo com a mãe da professora, o casal estava separado há pouco mais de um mês. A suspeita é que inconformado com o fim do relacionamento de 9 anos, Gilberto Stuckert que estava morando em Brasília, retornou para João Pessoa para tentar uma reconciliação.

O corpo da professora foi encaminhado para Gerência Executiva de Medicina e Odontologia Legal (Gemol) e pela manhã desta quarta-feira foi liberado, após exames. O delegado adiantou que no pescoço ela havia marcas de asfixia manual. ?Só o laudo vai identificar se a asfixia foi provocada por um objeto ou se foi feito com as mãosl?, explicou o delegado.

Fonte: G1