Ex de Mércia esteve em prédio após o crime

Suspeito de matar a ex foi ao apartamento dela conversar com pai da vítima

Imagens gravadas por uma câmera do sistema de segurança do prédio onde Mércia Nakashima morava, em Guarulhos, na Grande São Paulo, mostram Mizael Bispo de Souza, ex-namorado da advogada e principal suspeito de assassiná-la, entrar no local dois dias depois do desaparecimento (veja as imagens ao lado). Após sumir em 23 de maio, o corpo da vítima foi achado em 11 de junho numa represa em Nazaré Paulista, no interior de São Paulo. Ela morreu afogada.

Procurado nesta sexta-feira (29) para comentar o assunto, o advogado e policial militar aposentado Mizael confirmou que o homem que aparece nas imagens vestido com calça e camisa sociais, gravata, sapatos e um colete, é ele mesmo. Ele disse que foi ao apartamento da ex-namorada no final da tarde do dia 25 de maio para conversar com o pai da advogada, Macomoto Nakashima.

?Ele me ligou avisando do desaparecimento de Mércia naquele dia. Tinha ido ao fórum. Então fui vestido daquele jeito para lá falar com ele porque fiquei preocupado com o sumiço dela, até porque ela morava com o pai nesse condomínio?, disse Mizael. ?Fiquei lá por mais de meia hora e pedi até para a gente fazer uma ocorrência para dizer que ela desapareceu, mas ele comentou que a mãe dela já havia feito isso. Eu não matei Mércia. Sou inocente.?

Gravação está com polícia

A gravação de 39 segundos já está com a Polícia Civil de São Paulo. Apesar disso, ela não é considerada fundamental para a investigação porque Mizael foi ao apartamento da ex-namorada a convite do pai da vítima. A visita do ex de Mércia consta também do depoimento dado pelo pai da advogada ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Apesar disso, Macomoto disse que Mizael não queria ajudar a procurar sua filha.

As imagens mostram que Mizael chegou ao condomínio da ex por volta das 17h15. Ele aparece subindo dois lances de escada até parar na frente da portaria e entrar quando o portão é aberto. O advogado ainda segura o portão para que uma mulher possa entrar em seguida.

As provas que o DHPP afirmou ter para indiciar Mizael pelo homicídio de Mércia são baseadas em depoimentos e provas periciais. O vigia Evandro Bezerra Silva chegou a acusar Mizael de matar a ex por ciúmes e disse que ajudou o assassino a fugir. Depois, negou essa versão e disse que a deu porque foi torturado. Apesar disso, o vigilante também foi acusado de participar do crime. Agora, ele diz ser inocente.

O Ministério Público vai denunciar os dois suspeitos pelo assassinato de Mércia à Justiça de Guarulhos na próxima segunda-feira (2). Nesse dia, também será pedida a prisão preventiva dos dois. Atualmente, só Evandro continua preso temporariamente. Mizael está solto.

Segundo a acusação, Mércia foi baleada, desmaiou e morreu afogada dentro do próprio carro, que foi empurrado por Mizael para dentro da represa. Um pescador afirmou ter visto o veículo afundar e disse que viu um homem não identificado deixar o automóvel. Afirmou ainda ter escutado gritos de mulher.

Fonte: g1, www.g1.com.br