Ex-deputado é preso por abuso sexual e maus-tratos contra menores; confira

Político foi denunciado pela prática de crimes sexuais contra menores.

O ex-deputado Nilson Nelson Machado, o Duduco, preso no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, no domingo (22), desembarcou na noite desta segunda-feira (23) no Aeroporto Hercílio Luz, em Florianópolis, escoltado pela Polícia Civil. Ele seguiu com um carro da polícia até o bairro Costeira, onde o pneu do veículo furou. Após a troca de automóvel, Duduco seguiu para o Centro da cidade. Ele é acusado de abuso sexual e maus-tratos contra menores.



A previsão inicial era de que o preso fosse encaminhado ao Instituto Geral de Perícias (IGP), mas seguiu em direção ao Presídio Masculino de Florianópolis, onde deve ficar isolado em uma cela. De acordo com a Polícia Civil, o julgamento deve ocorrer em até três meses.

O político teve a prisão preventiva decretada há nove dias e estava foragido da Justiça de Santa Catarina desde o dia 13 de setembro. De acordo com o delegado que participou da operação, ele foi preso quando estava chegando em um culto religioso. "Ele estava bem tranquilo e não reagiu de nenhuma forma. Segundo ele, não se apresentou por orientação do advogado", explicou Antônio Carlos Seixas Joca.

Denúncia

A denúncia contra Duduco por crime de estupro e maus-tratos foi entregue no dia 2 de setembro. O caso veio à tona em maio deste ano, quando o Jornal do Almoço divulgou depoimentos de crianças e jovens que teriam sido abusados pelo ex-deputado. Desde então, o político nega todas as acusações.

Duduco já foi vereador de Florianópolis por duas vezes e é conhecido pelo trabalho social realizado com crianças e jovens, que fizeram a denúncia. Uma das vítimas, que não quis ser identificada, afirmou que ele é um "psicopata". "Ele criava situações, ele achava que tinha posse das pessoas".

O ex-deputado virou figura de destaque por desenvolver projetos sociais e cuidar de crianças carentes em um lar-abrigo, a Creche do Duduco, trabalho que dura mais de 30 anos. As vítimas, porém, alegaram que ele esconde "uma outra face". Um homem que viveu no abrigo dos 8 aos 22 anos contou que, aos 13, os abusos começaram. "Ele tocava nas partes íntimas. Isso no quarto dele". Segundo a vítima, essa situação ocorreu diversas vezes.

De acordo com a vítima, com o passar do tempo, os abusos ficaram cada vez mais frequentes. "Ele me tratava dessa forma, como se eu fosse o companheiro dele. Muitas vezes, fugia da casa e ele, para ir atrás, ele inventava, dizia que a gente tinha roubado alguma coisa dele", afirmou a vítima. O objetivo, segundo a denúncia, era que a polícia fosse atrás dos menores.

Na reportagem da RBS TV, sem saber que estava sendo gravado, Duduco admitiu, em um vídeo, ter se relacionado com os menores do abrigo. "Toda vida eu trabalhei contra esse tipo de relacionamento, agora que eu fui mais fraco, eu fui. Eu da minha fraqueza, eu me entreguei e é verdade", afirmou o político na gravação. O vídeo tem 30 minutos de duração e, nele, Duduco cita nomes: "Na minha fraqueza, eu me envolvi com o (...) e aí quando eu me separei do (...), o (...) começou a atravessar o meu caminho".

Em relação ao vídeo, o ex-deputado afirmou que "mas será que momento de fraqueza que eu quis me referir era sexualmente falando? A gente só é fraco sexualmente? Você não é fraco como pai? Você não pode ser fraco de outra maneira, só sexualmente? Existe tanta coisa por trás daquilo dali. Alguém tem interesse. Tudo será esclarecido", afirmou ele.

Fonte: G1