Ex-detento abre fogo, fere seis pessoas e é morto em praia

Ex-detento abre fogo, fere seis pessoas e é morto em praia

Ele chegou embriagado ao local e teria se envolvido em uma discussão com um cliente por causa da mulher

O homem encontrado morto após disparar contra turistas no final da tarde desta segunda-feira (15) em um quiosque na Praia Martim de Sá, em Caraguatatuba, no litoral norte de São Paulo, se envolveu em uma discussão e até levou um tapa na cara de um freguês, segundo a polícia. As informações constam no boletim de ocorrência que foi registrado no 1º Distrito Policial da cidade.

Além do homem assassinado, outras seis pessoas ficaram feridas. De acordo com testemunhas e funcionários do quiosque ouvidos pela polícia, o suspeito, um ex-detento de 38 anos, chegou embriagado ao local e teria se envolvido em uma discussão com um cliente por causa da mulher deste. Por causa disso, foi agredido com um tapa na cara.

Segundo testemunhas, o suspeito foi até sua casa, em uma rua próxima, e pegou uma espingarda calibre 12. O filho do ex-detento, um adolescente de 17 anos, relatou que tentou impedi-lo de retornar ao quiosque. Lá, o homem disparou contra um grupo que participava de uma roda de samba.

Ao menos seis pessoas - sendo quatro turistas da capital paulista e dois moradores de Caraguatatuba - foram atingidas, segundo a polícia. Apenas depois da conclusão do trabalho realizado pela polícia no local será possível determinar quantos disparos foram feitos pelo ex-detento.

De acordo com os relatos, ?uma multidão? passou a perseguir o atirador. Segundo uma testemunha, ao menos dez pessoas foram atrás do homem. Ele foi alcançado já próximo de onde morava. Depois de agredido, foi morto com vários tiros.

A polícia solicitou exames para saber por quantos tiros o atirador foi atingido, qual o tipo e o calibre da arma e se todos os disparos partiram do mesmo armamento. O filho relatou à polícia que chegou a ouvir os disparos que mataram seu pai, mas que não viu o autor.

Dos seis feridos, apenas um morador da capital que foi baleado no braço precisou passar por uma intervenção cirúrgica no Pronto Socorro da Casa de Saúde Stella Maris. Ele permanecia internado em observação até a madrugada desta terça-feira (16). Os demais sofreram ferimentos leves. Ninguém foi preso pela morte do ex-detento até o momento. Apenas a espingarda calibre 12 foi apreendida.

De acordo com a polícia, o ex-detento era natural de Botucatu, no interior de São Paulo, e havia cumprido pena na penitenciária de Presidente Prudente por roubo e homicídio. Ele vendia artesanatos na praia.

Fonte: g1, www.g1.com.br