Ex-gerente da Boate Kiss depõe em julgamento de acusados no RS

Sobrevivente que ficou internado por cerca de duas semanas também falará à Justiça


Ex-gerente da Boate Kiss depõe em julgamento de acusados no RS
Um dos depoimentos mais aguardados no processo criminal sobre a tragédia da Boate Kiss ocorrerá na próxima segunda-feira, em Porto Alegre. O ex-gerente da casa noturna Ricardo de Castro Pasch - que chegou a ser indiciado pelos mesmos crimes aos quais respondem os quatro réus da ação penal - vai falar ao juízo na tarde de segunda-feira, na 2ª Vara do Tribunal do Júri da capital gaúcha.

Pasch é um dos nomes mais citados pelos funcionários que já deram depoimento no processo, pois era ele quem dava ordens aos empregados, além de ser responsável pelo controle de entrada e saída dos frequentadores. Inicialmente, o depoimento de Pasch estava marcado para ocorrer no dia 16 de julho, em Santa Maria, mas como ele mora atualmente em Porto Alegre, será ouvido por meio de carta precatória na capital.

Na conclusão do inquérito da Polícia Civil, em março, Pasch chegou a ser indiciado pela Polícia Civil por homicídios qualificados por dolo eventual e tentativas de homicídio qualificado, mesmos crimes pelos quais os quatro réus são acusados. Mais adiante, o Ministério Público se manifestou pelo arquivamento do inquérito em relação ao ex-gerente, o que foi acolhido pelo juiz Ulysses Fonseca Louzada, titular da 1ª Vara Criminal de Santa Maria e responsável pelo processo.

Outra testemunha que será ouvida nesta segunda-feira, em Porto Alegre, é o estudante de Direito Ruan Bolzan Martins, 19 anos. Ele é aluno da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Na madrugada de 27 de janeiro, Martins estava na Kiss com dois amigos que morreram na tragédia: Rhuan Scherer de Andrade e Ana Paula Rodrigues.

Ele desmaiou quando tentava sair da casa noturna e só se salvou porque alguém o retirou de lá. O jovem, natural de São Sepé (RS), teve queimaduras graves e ficou cerca de duas semanas internado no Hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre.

Audiências em Santa Maria devem ser retomadas em setembro

O titular da 1ª Vara Criminal de Santa Maria, juiz Ulysses Fonseca Louzada, declarou na sexta-feira que as audiências para ouvir sobreviventes devem ser retomadas no início de setembro. O magistrado disse que deve se manifestar a respeito da ação nos próximos dias, quando serão anunciadas as respostas a pedidos feitos pelas defesas e as datas em que as próximas vítimas serão ouvidas.

Até agora, prestaram depoimento em Santa Maria 47 sobreviventes do incêndio na Boate Kiss. Os últimos depoimentos ocorrerem no dia 1º de agosto, quando depuseram em Rosário do Sul (RS) dois ex-integrantes da banda Gurizada Fandangueira, o baterista Eliel Bagesteiro de Lima e o guitarrista Rodrigo Lemos Martins. Também deve haver depoimentos em Caxias do Sul (RS) e Florianópolis (SC).

Desde o final de julho, o juiz Ulysses Fonseca Louzada está revisando todo o processo criminal da Kiss. O trabalho visava a sanar qualquer irregularidade que fosse vista. Durante esse período, foi feita mais uma etapa de digitalização dos documentos que foram incluídos no processo desde abril, quando houve a primeira parte da digitalização.

Nos próximos dias, o magistrado também responderá a respeito de pedidos feitos pelas defesas. O advogado Omar Obregon, por exemplo, solicitou que sejam ouvidos no processo o prefeito de Santa Maria, Cezar Schirmer, o deputado estadual Jorge Pozzobom (PSDB) e o promotor Ricardo Lozza, e requereu uma nova perícia na boate por conta de querosene encontrada no local. O Ministério Público já se manifestou negativamente em relação a esses pedidos, mas a decisão é do juiz.

Fonte: Terra, www.terra.com.br