Ex-namorado de Mércia presta depoimento

Polícia diz que Mizael Bispo é o responsável pela morte da advogada

O ex-namorado de Mércia Nakashima, Mizael Bispo, deve prestar um novo depoimento à polícia na manhã desta terça-feira (20). O interrogatório está marcada para às 11h no DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), no centro de São Paulo. Esta é a primeira vez que Bispo falará com a polícia depois que o corpo da advogada foi encontrado.

Nos primeiros depoimentos, quando Mércia ainda era considerada desaparecida, Bispo afirmou que não tinha nada a ver com o caso. Ele chegou a ter a prisão temporária decretada, mas a Justiça revogou a decisão na última quarta-feira (14). Bispo, que é policial reformado e advogado, namorou Mércia por quase quatro anos.

Na segunda-feira (19), o delegado responsável pelo caso, Antônio de Olim, ouviu novamente o segurança Evandro Bezerra da Silva, suspeito de participar do assassinato de Mércia. O interrogatório serviu para que a polícia esclarecesse algumas dúvidas que ainda tinha sobre o caso.

No primeiro depoimento prestado em São Paulo, Silva afirmou que foi buscar Bispo na represa de Nazaré Paulista, no interior de São Paulo, no dia 23 de maio. Na mesma data, Mércia desapareceu. O corpo dela e o carro foram encontrados na represa no dia 11 de junho.

Até o final da segunda-feira, o delegado ainda não tinha decidido se faria a acareação entre o segurança e Bispo.

Vazamento de dados

Na segunda, o advogado de Bispo, Samir Haddad Júnior, entrou com uma petição no Fórum de Guarulhos para que a Justiça encaminhe uma notificação ao IC (Instituto de Criminalística). O objetivo é descobrir quem vazou informações preliminares do laudo, que ainda não foi finalizado, para a imprensa.

Pelos dados divulgados no último domingo (18), os vestígios de terra encontrados no sapato do ex-namorado de Mércia são compatíveis com o material localizado na represa de Nazaré Paulista.

Segundo Haddad, a divulgação atrapalha o andamento das investigações e cria uma falsa expectativa de justiça em relação à opinião pública.

Fonte: R7, www.r7.com